OMS diverge de europeus e recomenda vacina da AstraZenca para mais de 65 anos

188
Bandeira com o símbolo da Organização Mundial da Saúde (OMS). (Foto: Missão dos EUA/Eric Bridiers)

São Paulo – A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomendou o uso da vacina desenvolvida pela AstraZeneca em parceira com a Universidade Oxford em pessoas com mais de 65 anos, mas não indicou a aplicação das doses para menores de 18 anos. A decisão estava sendo aguardada para esta semana.

A recomendação acontece em meio a divergências entre as autoridades europeias. França,  Bélgica e Alemanha estão entre os países da União Europeia (UE) que indicaram que a vacina seja administrada apenas a adultos jovens, devido aos dados limitados dos testes. Já o governo britânico autorizou o uso do imunizante em todas as faixas etárias.

Segundo a diretora de vacinas e produtos imunológicos da OMS, Katherine O´Brien, há evidências, especialmente no Reino Unido, da eficácia da vacina da AstraZeneca em pessoas com mais de 65 anos.

“Temos confiança nos dados que mostram que não há evidências que comprovem que a vacina é menos eficaz em pessoas mais velhas. Há urgência na aprovação de vacinas e não há razões para esperar”, disse ela em coletiva de imprensa.

“No entanto, alguns países podem apresentar uma recomendação diferente e dar preferência por um ou outro imunizante para determinados grupos, mesmo sem comprovações para isso”, acrescentou.

A OMS também recomendou um intervalo de oito a 12 semanas entre a administração das duas doses da vacina da AstraZeneza, argumentando que as observações sugerem que a eficácia melhora com um intervalo mais longo. A recomendação do fabricante é um intervalo de quatro a 12 semanas.

O uso emergencial ou condicional do imunizante já foi liberado na União Europeia, Índia, Brasil e outros países.