Nova onda de covid-19 ameaça recuperação do mercado de petróleo, diz AIE

110
Foto: Troy Stoi/ freeimages.com

São Paulo — A Agência Internacional de Energia (AIE) afirmou que, segundo relatório mensal sobre o mercado de petróleo, a oferta global da commodity caiu em 600 mil barris por dia (bpd) em setembro, totalizando 91,1 milhões de bpd – 8,7 milhões de bpd a menos do que em 2019, pré-pandemia.

Além disso, a organização também informou que a demanda pro combustível cresceu pelo mundo. A demanda global de petróleo aumentou 3,4 milhões de bpd em relação ao mês anterior em julho, “conforme as restrições ao coronavírus diminuíram e as férias de verão no hemisfério norte apoiaram um aumento no uso de meios de transporte”, afirmou o documento.

No entanto, a AIE alerta que “uma segunda onda de casos de covid-19 e novas restrições de movimento estão agora desacelerando o crescimento da demanda”. Por isso, a agência disse que a previsão de procura pela commodity para 2020 está inalterada em 91,7 milhões de bpd, queda de 8,4 milhões de bpd em relação a 2019.

“Nossa previsão para 2021 também está praticamente inalterada em 97,2 milhões de bps, mostrando um ganho de 5,5 milhões de bpd a partir de 2020”, acrescenta a organização.

O documento também alerta para uma leve recuperação da oferta no quarto trimestre de 2020, com a produção aumentando para 92 milhões de bpd de 91,3 milhões de bpd no terceiro trimestre “se a produção da Líbia continuar a se recuperar e assumindo que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados produzam conforme sua meta”, afirma o relatório. O fornecimento total não-OPEP deve cair 2,6 milhões de bpd em 2020 antes de se recuperar em 400 mil bpd em 2021, de acordo com a AIE.