TIM alcança lucro de R$ 267 mi no 2º tri

128
Foto divulgação: TIM

São Paulo – A TIM reportou um lucro líquido de R$ 267 milhões no segundo trimestre do ano, queda de 86,8% na comparação com o mesmo período do ano anterior. O lucro líquido normalizado, que engloba atualização monetária sobre crédito fiscal e contingências trabalhistas, fiscais e cíveis, caiu 22,1% no trimestre e totalizou R$ 276 milhões.

A receita líquida totalizou R$ 3,987 bilhões no período, retração de 6,5% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior.

A receita líquida de serviços, por sua vez, caiu 3,4% e somou R$ 3,966 bilhões no trimestre, na comparação anual, enquanto a receita com móvel atingiu R$ 3,671 bilhões, queda de 4,2%, e a receita com fixo aumentou 10,8% e somou R$ 255 milhões.

O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) reportado caiu 42,7% no trimestre, para R$ 1,984 bilhão na comparação anual, enquanto o normalizado totalizou R$ 1,984 bilhão no período, alta de 1,4% ante igual período do ano anterior.

A margem ebitda reportada atingiu 49,8% ao final do trimestre, queda de 31,4 pontos percentuais (pp) na comparação anual, enquanto a margem ebitda normalizada subiu 3,8 pp e alcançou 49,8% na mesma base de comparação.

O ARPU (receita média mensal por usuário) móvel foi de R$ 23,4 ao final do trimestre na comparação anual, alta de 0,9%. O ARPU pré-pago caiu 1,4% no período, para R$ 11,4, enquanto o ARPU pós-pago alcançou R$ 36 no trimestre, queda de 3% ante igual intervalo de 2019.

A base de clientes de telefonia fixa atingiu 1,037 milhão, alta de 3,1% ante igual período de 2019, enquanto a TIM Live subiu 19,6% na comparação anual, para 606 mil.

Em relação ao market share – a operadora italiana tinha participação de 23,2% ao final do trimestre, queda de 0,9 pp.

Ao final do trimestre, a dívida da líquida da TIM era de R$ 7,028 bilhões. A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por ebitda, era de 0,85 vez no período.

Os custos reportados da operação somaram R$ 2 bilhões no segundo trimestre deste ano, enquanto os custos normalizados caíram 13,1% e totalizaram R$ 2,003 bilhões na base de comparação anual.

O conselho de administração da companhia aprovou à submissão à assembleia geral extraordinária pela incorporação da TIM Participações pela TIM com objetivo de ser listada no segmento especial de listagem Novo Mercado da B3.

Segundo a companhia, a incorporação não acarretará impactos para seus acionistas minoritários, tendo em vista que a TIM permanecerá com a mesma estrutura de administração e de melhores práticas de governança corporativa, bem como significativos ganhos de eficiência operacional e financeira.

Os custos para operacionalizar a reorganização societária no valor de R$ 12,1 milhões estão relacionados a honorários de assessoria jurídica, contábil e fiscal; despesas decorrentes do processo de listagem na B3 e na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse, na sigla em inglês).