IGP-M cai 0,56% em novembro

663
Águas Claras, Brasília / Foto: Andre Borges/Agência Brasília.

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) caiu 0,56% em novembro, após queda de 0,97% no mês anterior. Com este resultado o índice acumula alta de 4,98% no ano e de 5,90% em 12 meses. Em novembro de 2021, o índice variara 0,02% e acumulava alta de 17,89% em 12 meses.

A expectativa do mercado, calculada pelo Termômetro CMA, era de queda de 0,38% no mês.

A taxa do grupo Bens Intermediários passou de -2,17% em outubro para -0,11% em novembro. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cujo percentual passou de -5,67% para 0,83%. O índice de Bens Intermediários (ex), obtido após a exclusão do subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, caiu 0,32% em novembro, ante queda de 1,38% em outubro.

O estágio das Matérias-Primas Brutas caiu -2,86% em novembro, após queda de 1,96% em outubro.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,64% em novembro, após alta de 0,50% em outubro. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação.

Também apresentaram acréscimo em suas taxas de variação os grupos Alimentação (0,57% para 0,83%), Comunicação (-1,03% para -0,32%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,80% para 1,00%) e Vestuário (0,67% para 0,83%).

Em contrapartida, os grupos Educação, Leitura e Recreação (3,15% para 0,60%), Habitação (0,63% para 0,37%) e Despesas Diversas (0,22% para 0,14%) registraram decréscimo em suas taxas de variação.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,14% em novembro, ante 0,04% em outubro. Os três grupos componentes do INCC registraram as seguintes variações na passagem de outubro para novembro: Materiais e Equipamentos (-0,32% para -0,35%), Serviços (0,34% para 0,35%) e Mão de Obra (0,31% para 0,53%).