Governo norte-americano impõe novas restrições a diplomatas chineses

154

São Paulo – Com base no que chamou de reciprocidade, o governo norte-americano se prepara para impor novas restrições aos diplomatas chineses nos Estados Unidos, em mais um passo na escalada de tensões entre as duas maiores economias do mundo.

“Durante anos, o governo chinês impôs barreiras significativas aos diplomatas norte-americanos que trabalham na China que estão muito além das normas diplomáticas. As autoridades chinesas implementam um sistema de processos de aprovação pouco transparentes, projetado para evitar que diplomatas norte-americanos conduzam negócios regulares e se conectem com o povo chinês”, disse o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, em nota.

A partir de agora, segundo Pompeo, os diplomatas chineses devem obter autorização do governo dos Estados Unidos para qualquer visita a universidades. Além disso, a embaixada e os consulados chineses nos Estados Unidos devem obter a aprovação do Departamento de Estado norte-americano para qualquer grande evento cultural realizado fora de suas instalações diplomáticas.

“Nos Estados Unidos, em contraste, os diplomatas chineses têm acesso aberto à sociedade norte-americana, enquanto ignoram os constantes pedidos dos Estados Unidos para melhorar o equilíbrio. Em resposta às restrições de longa data da China aos diplomatas norte-americanos e à recusa em se envolver de boa fé em questões fundamentais de reciprocidade e respeito mútuo, o Departamento de Estado é obrigado a impor certos novos requisitos aos diplomatas da China”, acrescentou Pompeo.