Fitch reafirma nota de risco de crédito do Brasil e perspectiva negativa

166
Foto: www.solvencyiiwire.com

São Paulo, 18 de novembro de 2020 – A Fitch reafirmou a nota de crédito soberano (rating) de longo prazo em moeda estrangeira do Brasil em “BB-“, mantendo a perspectiva negativa. Segundo a agência de classificação de risco, a avaliação do país é sustentada pelo tamanho e diversificação da economia brasileira, entre outros fatores, sendo contrabalançado pelo “alto e crescente” endividamento do governo.

Segundo a Fitch, uma “estrutura fiscal rígida”, um fraco potencial de crescimento econômico e um cenário político difícil impedem o progresso oportuno nas reformas econômicas e fiscais. Com isso, a perspectiva negativa reflete a “severa deterioração” do déficit fiscal do país e da dívida pública, diante da incerteza persistente quanto às perspectivas de consolidação fiscal.

Além disso, a agência avalia que os crescentes vencimentos da dívida interna de curto prazo em meio a um pesado fardo da dívida pública tornam o Brasil vulnerável a choques, incluindo mudanças na confiança dos investidores domésticos e nas condições de financiamento.

“Embora a equipe econômica esteja comprometida em retornar à agenda de reformas em 2021, o ambiente político permanece fluido, reduzindo a visibilidade e previsibilidade do processo”, afirma a Fitch, acrescentando que a incerteza em torno do cenário político e do desenvolvimento das políticas econômicas, combinada com um ressurgimento de infecções globais por coronavírus, continua a “turvar o cenário”.