EUA endurecem protocolos de viagens e anunciam novas medidas por Ômicron

Foto: FreeImages.com / Lisa Setrini-Espinosa

São Paulo – A Casa Branca anunciou que irá endurecer os protocolos para viagens internacionais e aplicar novas ações para combater a covid-19 à medida que os Estados Unidos se aproximam dos meses de inverno e com o surgimento de uma nova variante, a Ômicron.

“No início da próxima semana, os Estados Unidos irão apertar os protocolos de teste antes da partida, exigindo que todos os viajantes internacionais que chegam façam o teste no prazo de um dia da partida em todo o mundo, independentemente da nacionalidade ou estado de vacinação”, diz a Casa Branca, em comunicado.

“Este cronograma de teste mais restrito fornece um grau adicional de proteção à saúde pública, à medida que os cientistas continuam a avaliar a variante Ômicron”.

Além disso, continuará em vigor até 18 de março a exigência de máscaras durante viagens internacionais ou outras viagens públicas – bem como em centros de transporte, como aeroportos ou terminais de ônibus interno.

A Casa Branca também apelou às empresas para que avancem com os programas de vacinação e testes, exigindo que seus trabalhadores sejam vacinados ou testados semanalmente. “Isso é especialmente importante devido à variante Ômicron”, de acordo com o comunicado.

Outra medidas anunciadas pela Casa Branca incluem o fornecimento de pílulas de tratamento contra o vírus e expansão do teste gratuito em casa, entre outras. As escolas, no entanto, permanecerão abertas à medida que a vacinação aumenta no país.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos confirmou ontem que uma pessoa com a variante Ômicron do coronavírus foi identificada na Califórnia. Desde segunda-feira, estão restritas viagens aéreas da África do Sul, onde a Ômicron foi identifica pela primeira vez, e de outros sete países da região.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou que “restrições de viagem generalizadas não impedirão a disseminação internacional e impõem um fardo pesado sobre vidas e meios de sustento”, mas também aconselhou pessoas indispostas, em risco, de 60 anos ou mais e que não se vacinaram a adiarem viagens.

Investidores continuam tensos hoje, apesar de os mercados financeiros terem reagido a quedas bruscas do dia anterior, ocorridas na esteira de comentários do presidente executivo da Moderna, que manifestou dúvidas sobre a eficácia das vacinas contra covid-19 no combate à Ômicron.

Desde então, autoridades de saúde globais ofereceram garantias e reiteraram apelos para que as pessoas se vacinem.