CSN salta 10% após Credit Suisse elevar recomendação para compra

258

São Paulo – As ações da CSN mostram a maior alta do Ibovespa em dia de valorização de preços do minério de ferro e depois que o Credit Suisse elevou a sua recomendação de neutro para “outperform” (equivalente à compra), além de subir o preço-alvo de R$ 11,50 para R$ 19,00. O banco destacou uma demanda melhor do que o esperado de aço e preços mais altos do minério de ferro. Às 10h54 (horário de Brasília), os papéis da siderúrgica (CSNA3) subiam 10,05%, a R$ 16,86.

Para os analistas do banco, no geral, o retorno da demanda por aço tem sido rápida, levando ao aumento das expectativas de vendas de aço em 2020 para uma queda de 4%, ante previsão anterior de queda de 12% na comparação com 2019.
Os analistas ainda incorporaram o ambiente mais favorável para o aumento de preços, destacando que a companhia já anunciou um reajuste de cerca de 10% nos seus produtos em setembro e de 13% para outubro. Um dos motivos para o aumento é o preço mais alto da principal matéria-prima do aço, o minério de ferro, que pode se manter acima de US$ 100,00 a tonelada em 2021.

O banco ainda destaca o potencial oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da área de mineração da CSN junto com a potencial venda da SWT, sua subsidiária na Alemanha, ou o desinvestimento dos cerca de 17% que detém na Usiminas, movimentos que poderiam reduzir ainda mais a alavancagem da companhia.

Outras ações do setor, como Usiminas (USIM5 4,46%) e Gerdau (GGBR4 5,40%) acompanham o movimento e também estão entre as maiores altas do índice. Os preços do minério de ferro subiram hoje, com o contrato mais negociado da commodity na Bolsa chinesa de Dalian subindo 2,79%