China lidera registro de patentes em inteligência artificial, diz ONU

106
Foto: rawpixel.com/Freepik

A China lidera amplamente a corrida de patentes em inteligência artificial generativa, superando seus concorrentes mais próximos, como os Estados Unidos, de acordo com um relatório da ONU divulgado na quarta-feira.

A inteligência artificial generativa, que gera texto, imagens, código de computador e até música a partir de dados existentes, está em rápido crescimento, com mais de 50.000 pedidos de patentes registrados na última década, supervisionados pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), que facilita o reconhecimento internacional de patentes entre países. Um quarto desses pedidos foi registrado apenas em 2023, revelou o relatório.

“Esta é uma área em expansão rápida, e esperamos que continue a crescer ainda mais”, comentou Christopher Harrison, Gerente de Análise de Patentes da OMPI, em uma coletiva de imprensa.

De acordo com a OMPI, a China registrou mais de 38.000 invenções GenAI entre 2014 e 2023, em comparação com 6.276 registradas pelos Estados Unidos no mesmo período. Harrison observou que as aplicações de patentes chinesas abrangem uma ampla gama de setores, desde condução autônoma até publicação e gestão de documentos.

Os dados revelaram que Coreia do Sul, Japão e India ocupam, respectivamente, o terceiro, quarto e quinto lugares nesse ranking, com a India apresentando o crescimento mais acelerado.

Entre os principais requerentes estão a ByteDance da China – proprietária do TikTok -, o gigante chinês de e-commerce Alibaba Group e a Microsoft, que apoia a startup OpenAI responsável pelo ChatGPT.

Enquanto os chatbots, capazes de simular o discurso humano, já são amplamente utilizados por varejistas e outros para melhorar o atendimento ao cliente, a GenAI tem o potencial de transformar diversos setores econômicos, como ciência, publicação, transporte e segurança, conforme destacou Harrison.

“Os dados de patentes indicam que esta área terá um impacto significativo em vários setores industriais no futuro”, enfatizou Harrison, especialmente no setor científico, onde moléculas criadas pela GenAI têm potencial para acelerar o desenvolvimento de medicamentos.

A OMPI espera uma nova onda de registros de patentes em breve e planeja lançar uma atualização dos dados no futuro, possivelmente utilizando GenAI para ilustrar essa tendência.