Carga no sistema deve acelerar 5,6% na comparação anual, prevê ONS

507

São Paulo – O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) aponta que os cenários prospectivos para a carga são de expansão na demanda no Sistema Interligado Nacional (SIN) e em todos os subsistemas, segundo o seu boletim do Programa Mensal de Operação (PMO) da semana operativa entre 9 e 15 de setembro. A carga no SIN deve acelerar 5,6% na comparação com o mesmo período do ano passado, para 75.075 megawatts médios (MWmed).

A carga no subsistema Norte deve ter alta de 10,2% (7.682 MWmed), no Sudeste/Centro-Oeste sobe 6,0% (42.724 MWmed). Para o Nordeste e o Sul, a perspectiva é de avanço em patamares menores que os previstos nas revisões iniciais: 4,7% (12.418 MWmed) e 2,4% (12.251 Mwmed). Os percentuais comparam os resultados para o final de setembro de 2023, ante o mesmo período do ano passado.

As projeções de Energia Natural Afluente (ENA) são compatíveis com o período tipicamente seco em curso. Houve elevação das indicações em três subsistemas: a região Sul deve atingir 193% (106% na revisão anterior) da Média de Longo Termo (MLT), o Sudeste/Centro-Oeste, 90% da MLT (85%) e o Nordeste 79% da MLT (76%). A previsão para a região Norte é de uma ENA de 64% da MLT. Os dados apresentados consideram a data de 30 de setembro.

As estimativas para a Energia Armazenada (EAR) se mantêm estáveis e com a possibilidade de três subsistemas encerrarem o mês corrente com patamares superiores a 70%: Sul (91,7%), Sudeste/Centro-Oeste (73,5%) e Norte (71,5%). Com relação ao Sudeste/Centro-Oeste, se este horizonte se confirmar, será o melhor patamar de EAR para setembro em toda a série histórica iniciada em 2000. O Nordeste deve atingir 69,1%.

O Custo Marginal de Operação (CMO) se mantém zerado em todos os subsistemas ao longo de todo o ano de 2023 e mantém este padrão em setembro.