Brasil e Argentina avaliam abertura de fronteiras para promover turismo

O ministro de Relações Exteriores do Brasil, Carlos França, e o ministro da Argentina, Felipe Solá / Foto: Ministério de Relações Exteriores, Comércio Internacional e Culto da Argentina

Buenos Aires – O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos França, e o ministro da pasta da Argentina, Felipe Solá, discutiram a possibilidade de reiniciar os voos entre os dois países, interrompidos devido à pandemia de covid-19, para promover o turismo com vistas
ao próximo verão e com a desaceleração das infecções em ambos os países.

Após comemorar o trigésimo aniversário da criação da Agência Brasileira-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (ABACC), França e Solá avaliaram ontem a flexibilização das restrições em suas fronteiras e expressaram sua preocupação com as áreas afetadas pela baixado rio Paraná.

“Encontro produtivo no Rio de Janeiro com o chanceler brasileiro, Carlos França. O desejo de diálogo dentro do Mercosul e a retomada do comércio no último semestre foram alguns dos temas abordados”, disse Solá, em mensagem no Twitter.

As autoridades também avaliaram iniciativas para garantir o abastecimento de água potável para as províncias ribeirinhas, afetadas pela extraordinária baixa que afeta a bacia do Rio da Prata.

No mesmo dia, os chanceleres assinaram o Termo de Extensão do Contrato de Concessão Internacional da Ponte Santo Tomé-São Borja e do respectivo Centro Unificado de Fronteira (CUF) por um ano.

“Pelo CUF, passam cerca de 15% de todo o comércio internacional entre o Brasil e a Argentina. Esse ponto de fronteira tem sido a escolha prioritária para a exportação, por via rodoviária, de produtos brasileiros de maior valor agregado”, de acordo com o Itamaraty, em comunicado.

“A prorrogação do acordo garante a continuidade e a regularidade das operações de comércio exterior, incluindo fluxos de mercadorias, meios de transporte e pessoas”, diz a nota.

Tradução: Cristiana Euclydes