Bolsonaro agrada Biden com anúncios sobre clima e afasta pressão internacional

Presidente Jair Bolsonaro discursa após cerimônia de posse do Ministro de Estado da Cidadania, Joao Roma, e do Ministro de Estado Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni e sanção da Lei da Autonomia do Banco Central. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

São Paulo – A Casa Branca viu com bons olhos os anúncios do presidente Jair Bolsonaro para conter as mudanças climáticas e sinalizou que deve usar fóruns internacionais para manter conversas com Brasília sobre o desmatamento e outras questões ligadas ao meio ambiente.

“O presidente Bolsonaro anunciou ontem passos cruciais sobre o clima e esses anúncios foram bem recebidos aqui”, disse a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, em coletiva de imprensa.

Participando da chamada Cúpula de Líderes sobre o Clima – organizada pelo presidente norte-americano, Joe Biden – Bolsonaro assumiu o compromisso de eliminar o desmatamento ilegal até 2030 com a aplicação do Código Florestal, indicando que isso ajudará a reduzir as emissões brasileiras de gases causadores do efeito estufa pela metade.

Além disso, Bolsonaro anunciou que a nova meta brasileira é atingir ainda em 2050 a neutralidade climática – quando o país reduz drasticamente suas emissões de gases causadores do efeito estufa e compensa as emissões restantes com medidas ambientais.

“Essa antecipação da meta em dez anos é algo que esperávamos de um país como o Brasil”, disse Psaki.

Em seu discurso, Bolsonaro tentou mitigar as críticas voltadas ao seu governo pelo aumento dos incêndios florestais ao longo dos últimos dois anos, que colocaram o país no centro das atenções de alguns parceiros do G-20 (grupo que reúne economias mais industrializadas e países emergentes).

“Queremos trabalhar junto com o Brasil e com outras lideranças mundiais em questões climáticas e devemos usar fóruns internacionais para isso”, acrescentou ela, ao ser questionada se Biden pretendia manter uma conversa bilateral com Bolsonaro sobre o clima.