Biden diz que falta de vacinação prejudica emprego e economia dos EUA

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, no Salão Oval da Casa Branca / Foto: Casa Branca

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, destacou o vigor da economia norte-americana após o relatório de emprego de agosto, embora tenha reconhecido que a perda do ímpeto na vacinação contra a covid-19 impede um salto adicional na criação de vagas no país e também no crescimento econômico.

“A economia norte-americana segue sólida apesar dos efeitos da variante Delta. Os pacotes de estímulo estão surtindo efeito positivo sobre a economia. Estamos vendo os salários subirem e o desemprego cair mesmo em setores afetados pela pandemia”, disse ele em pronunciamento na Casa Branca. “Sei que muitos esperavam um dado de emprego melhor, mas os setores estão criando vagas mesmo na pandemia”, acrescentou.

No mês passado, a economia dos Estados Unidos criou 235 mil postos de trabalho e a taxa de desemprego caiu para 5,2%, de 5,4% em julho. O número de vagas criadas ficou abaixo da projeção dos analistas, que esperavam abertura de 750 mil vagas. A taxa de desemprego veio em linha com a previsão. O Departamento do Trabalho informou também que em julho foram criados 1,053 milhão de vagas, mais que as 943 mil vagas da leitura preliminar.

Já o salário médio por hora no setor privado somou US$ 30,73 em agosto, alta de 0,56% ante os US$ 30,56 registrados em julho e alta de 4,28% em comparação aos US$ 29,47 em agosto do ano anterior.

Sem dar detalhes, Biden disse que o governo deve anunciar na próxima semana mais medidas para combater a disseminação da variante Delta nos Estados Unidos e também pediu que o Congresso faça a sua parte, aprovando a segunda metade de sua agenda econômica na volta do recesso.

“A proposta bipartidária de infraestrutura [de cerca de US$ 1 trilhão] não só colocará os Estados Unidos em um lugar melhor para competir no cenário internacional e combater as mudanças climáticas como cria empregos mais bem remunerados sem a necessidade de qualificação especial dos trabalhadores”, afirmou ele.

“Além disso, meu pacote social ajudará as famílias norte-americanas a arcar com custos de creche e educação, ajudando os pais a retornarem ao mercado de trabalho de maneira mais rápida”, acrescentou.

O presidente norte-americano aproveitou a ocasião para voltar a defender o aumento de impostos para as camadas mais altas da sociedade e também para as grandes empresas como forma de financiar a segunda parte de sua agenda econômica.

“Chegou a hora de quem tem dinheiro pagar uma cota justa de impostos neste país. Ninguém vai deixar de ter três mansões por causa disso, mas vamos fazer justiça. A classe média merece um alívio tributário para conseguir sustentar a família de maneira adequada”, disse.

“Nosso mercado de ações já bateu 40 recordes neste ano, quem pode, precisa pagar mais impostos e as grandes empresas não ficarão de fora disso. Todos devem dar sua contribuição para fazer a economia crescer de maneira sustentável em longo prazo”, concluiu.