Bancos mantém taxas de financiamento imobiliário estáveis mesmo após cortes da Selic

196
Foto: Eziz Charyyev / Pexels

São Paulo – O BTG Pactual aponta que mesmo após seis cortes seguidos da taxa Selic pelo Banco Central, atualmente em 10,75%, as taxas de financiamento imobiliário dos bancos brasileiros continuaram estáveis em março ante abril, e isso deve impactar as vendas de imóveis novos.

O banco realizou simulações das hipotecas do Bradesco, Itaú Unibanco, Banco do Brasil, Santander e Caixa Econômica Federal, baseada na compra de uma unidade residencial de R$ 500 mil em São Paulo para uma pessoa física que ganha R$ 15 mil por mês.

“Em março, nossas simulações mensais não capturaram nenhuma mudança nas taxas de hipotecas dos bancos, o que significa que elas permaneceram próximas de todos os períodos de alta. As taxas de hipotecas dos bancos foram: Banco do Brasil TR + 11,33% ao ano; (ii) Bradesco TR + 11,69% aa; (iii) Caixa TR + 9,55% aa; (iv) Itaú TR + 11,88% aa; e (v) Santander TR + 12,12% aa”, mostra a simulação do BTG.

Os analistas do BTG acreditam que os bancos devem levar algum tempo para reduzir as taxas de financiamento imobiliário mesmo com a queda da taxa Selic, principalmente devido a grandes saques em contas poupança, o que aponta para escassez de financiamento. Além disso, a acessibilidade ao crédito piorou para compradores de casas de rendimentos médio e alto, principalmente devido às altas taxas hipotecárias e aos preços mais altos dos imóveis.

Com isso, apesar das fortes vendas das construtoras, o BTG espera uma desaceleração nas vendas de casas novas devido ao cenário macro desafiador.