B3 anuncia parceria com a plataforma de negociação de créditos de carbono ACX

215

São Paulo – A B3 celebrou acordo com a ACX, uma das principais plataformas de negociação para o mercado de créditos de carbono no mundo. O acordo prevê desembolsos por parte da B3 de até R$ 10 milhões com o objetivo de estabelecer o funcionamento de uma plataforma dessa natureza no mercado brasileiro.

A parceria com a ACX possibilitará aos clientes da B3, no Brasil ou no exterior, o acesso a uma plataforma internacional de negociação com um livro centralizado de ordens e conectada às principais certificadoras do mundo.

A transação está alinhada com a estratégia da companhia de desenvolvimento de novos produtos e de avanços na agenda ASG (Ambiental, Social e de Governança) que promovam o desenvolvimento econômico sustentável, informou a B3, em comunicado.

A ACX é a uma empresa de tecnologia com foco em mercados ambientais e que conecta empresas, desenvolvedores de projetos de carbono, investidores e outros stakeholders da indústria. A ACX utiliza sua tecnologia proprietária para alavancar o crescimento dos mercados ambientais e para facilitar a jornada dos clientes rumo ao Net Zero (zerar as emissões líquidas de CO2).

Cia prevê distribuir entre 90% a 120% do lucro líquido em 2024

Ontem (7), a B3 anunciou suas projeções para 2024 e reafirmou suas projeções para 2023. No próximo ano, a companhia projeta distribuir aos acionistas de 90% a 120% do seu lucro líquido.

Já as despesas atreladas ao faturamento devem tomar de R$ 260 milhões a R$ 340 milhões.

A companhia ainda estimou depreciação e amortização de R$ 570 milhões a R$ 630 milhões para 2024, quando espera ter uma alavancagem financeira de 2,0 vezes, medida pela relação entre dívida bruta e ebitda recorrente.

Desse total, as despesas ajustadas no negócio principal devem consumir de R$ 2,140 bilhão a R$ 2,320 bilhão.

A operadora da bolsa prevê investimentos entre R$ 200 milhões e R$ 280 milhões no próximo ano.

A B3 projetou desembolsos totais de R$ 2,6 bilhões a R$ 2,940 bilhões.

Programa de recompra de ações e novos contratos de derivativos

O conselho de administração da B3 também aprovou a aquisição de até 23 milhões de ações da companhia e autorizou a celebração de novos contratos de derivativos relacionados a ações de sua própria emissão (equity swap).

O objetivo da Companhia com o Programa de Recompra é a administração da sua estrutura de capital, combinando recompras de ações e distribuições de proventos para retornar capital aos acionistas.

A quantidade de ações da B3 em circulação no mercado é 5.602.178.132 ações e em tesouraria, 34.203.288 ações, já considerando o cancelamento de ações aprovado nesta data.

A companhia não estima impactos da negociação sobre a composição acionária ou sobre sua estrutura administrativa.

As ações adquiridas no âmbito do Programa de Recompra serão canceladas ou utilizadas para a execução do Plano de Concessão de Ações da Companhia ou de outros planos aprovados pela Assembleia Geral da Companhia

O prazo máximo para aquisição de ações da Companhia no âmbito do Programa de Recompra é de 365 dias corridos, contados a partir de 1 de março de 2024, tendo como termo final o dia 28 de fevereiro de 2025. Caberá à diretoria executiva da B3 definir as datas em que a recompra será efetivamente executada.

As instituições financeiras que poderão atuar como intermediárias serão BTG Pactual, Genial e Goldman Sachs.