Após cheia, tendência para próximos dias na hidrelétrica de Itaipu é de normalidade

497
Foto: Cynara Escobar

São Paulo – Após a enchente no lado paraguaio do Rio Paraná causada pelo aumento do volume de água do Rio Iguaçu, a tendência para os próximos dias é de retorno aos valores considerados normais, informou a hidrelétrica de Itaipu, empresa binacional vinculada ao Ministério de Minas e Energia.

Nesta terça-feira feira, às 11h30, o nível na régua da Ponte da Amizade era de 106,33 metros. O pico da cheia foi na quinta-feira (13/10), quando o rio chegou a 113,53 metros.

No domingo (16/10), o nível do Rio Paraná caiu ainda mais, atenuando a emergência gerada pela enchente, disse Itaipu, que está divulgando diariamente um boletim hidrológico em seu site.

“A usina hidrelétrica de Itaipu atuou de forma precisa para garantir a segurança da comunidade afetada, na semana passada, pela cheia do Rio Paraná. Assim que a água começou a subir, a empresa mobilizou suas equipes para cuidar dos moradores da região alagada, nos bairros Remansito e San Rafael, em Ciudad del Este, no Paraguai”, disse o Ministério de Minas e Energia.

A inundação foi causada pelo represamento do Rio Paraná pelo Rio Iguaçu, abaixo da usina, e uma comissão formada por brasileiros e paraguaios, foi convocada para acompanhar os impactos da enchente. Órgãos de segurança no Brasil e Paraguai também foram acionados, segundo o ministério.

A pasta informou que cerca de 100 famílias vivem no local alagado. De imediato, Itaipu removeu as pessoas das áreas de risco para uma região segura. Foram usados mais de 20 veículos, que serviram para transporte dos moradores e seus pertences. A binacional entregou barracas, colchões e mantimentos, serviu refeições e prestou atendimento médico e odontológico.

A usina também manteve o vertedouro fechado, segurando, ao máximo, a água que chegava ao reservatório, evitando que mais famílias fossem afetadas.