Anvisa recomenda suspender vacina da AstraZeneca a gestantes

Uma dose da vacina da AstraZeneca contra covid-19 pronta para injeção / Foto: União Europeia

São Paulo – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou ontem à noite a suspensão imediata do uso da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 em gestantes. A bula do medicamento diz que ele não é recomendado para mulheres grávidas, mas abria espaço para a aplicação do imunizante com orientação médica.

“A orientação da Anvisa é que a indicação da bula da vacina AstraZeneca seja seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). A orientação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas covid em uso no país”, disse a Anvisa em nota publicada ontem.São Paulo, 11 de maio de 2021 – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou ontem à noite a suspensão imediata do uso da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 em gestantes. A bula do medicamento diz que ele não é recomendado para mulheres grávidas, mas abria espaço para a aplicação do imunizante com orientação médica.

“A orientação da Anvisa é que a indicação da bula da vacina AstraZeneca seja seguida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). A orientação é resultado do monitoramento de eventos adversos feito de forma constante sobre as vacinas covid em uso no país”, disse a Anvisa em nota publicada ontem.

“O uso ‘off label’ de vacinas, ou seja, em situações não previstas na bula, só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios da vacina para a paciente”, acrescentou.

A bula da vacina da AstraZeneca para os pacientes diz que “este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica” e instrui a população a informar o profissional de saúde em caso de gravidez e amamentação, e alerta que “há dados limitados sobre o uso da vacina covid-19 (recombinante) em mulheres grávidas ou que estejam amamentando. Seu profissional de saúde discutirá com você se você pode receber a vacina”.

Na bula dos profissionais de saúde, há alertas adicionais, apontando que os estudos feitos até agora “são insuficientes para fundamentar um risco associado com a vacina” em gestantes.

“Os estudos de toxicidade reprodutiva animal não foram concluídos. Como uma medida de precaução, a vacinação com a vacina covid-19 (recombinante) não é recomendada durante a gravidez. O uso da vacina covid-19 (recombinante) em mulheres grávidas deve ser baseado em uma avaliação se os benefícios da vacinação superam os riscos potenciais”, acrescenta o documento.

“O uso ‘off label’ de vacinas, ou seja, em situações não previstas na bula, só deve ser feito mediante avaliação individual por um profissional de saúde que considere os riscos e benefícios da vacina para a paciente”, acrescentou.

A bula da vacina da AstraZeneca para os pacientes diz que “este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica” e instrui a população a informar o profissional de saúde em caso de gravidez e amamentação, e alerta que “há dados limitados sobre o uso da vacina covid-19 (recombinante) em mulheres grávidas ou que estejam amamentando. Seu profissional de saúde discutirá com você se você pode receber a vacina”.

Na bula dos profissionais de saúde, há alertas adicionais, apontando que os estudos feitos até agora “são insuficientes para fundamentar um risco associado com a vacina” em gestantes.

“Os estudos de toxicidade reprodutiva animal não foram concluídos. Como uma medida de precaução, a vacinação com a vacina covid-19 (recombinante) não é recomendada durante a gravidez. O uso da vacina covid-19 (recombinante) em mulheres grávidas deve ser baseado em uma avaliação se os benefícios da vacinação superam os riscos potenciais”, acrescenta o documento.