Licenciamento total de veículos cresce 10% em maio, na base anual

133

São Paulo, SP – O licenciamento total de veículos – que incluem automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus cresceu 10% em maio, para 194.256 unidades, ante 176.524 no
mesmo mês de 2023. Ante abril, o indicador recuou 12%, informou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). No acumulado do ano, o licenciamento
total de veículos somou 929.669 unidades, alta de 14,9% frente ao mesmo período de 2023.

Os licenciamentos de automóveis e comerciais leves cresceram 10,2% em maio na comparação com o mesmo mês do ano passado, a 183.426 unidades. Ante abril, a queda foi de 12%. No acumulado do ano, os emplacamentos de leves somaram 875.762 unidades, alta de 16% frente ao mesmo período de 2023.

Este foi o melhor maio em média diária de vendas desde 2019, com 9.250 unidades/dia emplacadas, apesar da queda de 64% no RS e do feriado prolongado nos últimos dias do mês.

As vendas de caminhões cresceram 16,1% em relação ao mesmo mês do ano passado, com o emplacamento de 9.547 unidades e queda de 11,3% ante abril. No acumulado do ano, a alta foi de 4,8%, com 46.785 caminhões comercializados.

No setor de ônibus, os emplacamentos recuaram 33,2% em base anual, a 1.283 unidades. Em relação a abril, a venda de ônibus recuaram 26,1%. No acumulado do ano, houve queda de 25,4%, com 7.122 unidades vendidas.

A produção de caminhões superou a marca de 50 mil unidades no ano, com elevação de 30% sobre os primeiros cinco meses de 2023. Já os mais de 12 mil ônibus produzidos no período representam o melhor resultado acumulado para o segmento desde 2015

EXPORTAÇÃO

A receita com as exportações totais de veículos automotores e de máquinas agrícolas produzidas no Brasil somou US$ 822.264 milhões em maio, queda de 24,5% ante o mesmo mês do ano passado. Na comparação com o mês anterior, houve alta de 11,1%, segundo a Anfavea. No acumulado do ano, a receita com exportações recuou 17,6%, chegando a US$ 3,958 bilhões.

Desaquecimento dos mercados da América do Sul persiste, mantendo as exportações num patamar baixo. Crescimento de produtos asiáticos nesses países também prejudica os embarques brasileiros.

PRODUÇÃO

Em abril, foram produzidas 152.830 unidades de veículos leves no Brasil, queda de 29,8% em relação ao mesmo período do ano passado. Na comparação mensal, houve uma queda de 26,4%, de acordo com Anfavea.

Já a produção total de veículos – que inclui automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus – foi de 166.733 no mês passado, queda de 26,8% em comparação a maio de 2023 e 24,9% inferior em comparação a abril.

No acumulado do ano, a produção total de veículos – que inclui automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus – recou 1,7% para 926.847 unidades, na comparação anual, enquanto a produção de veículos leves em nos cinco primeiros meses de 2024 recuou 3,6% em relação ao mesmo período de 2023, para 862.663 unidades.

Recuo na produção em maio foi decorrente das paralisações de fábricas e dos reflexos da
operação-padrão do IBAMA e do MAPA e do efeito Rio Grande do Sul.

EMPREGOS

A quantidade de postos de trabalho na indústria automotiva cresceu 3,1% na comparação com maio de 2023, para 103.299 posições. O número é 1,3% superior na comparação com abril, quando o setor alcançou 102.005 postos de trabalho, informou a Anfavea. É o melhor nível desde novembro de 2022, indicando os primeiros reflexos positivos dos recentes investimentos.