XP Investimentos eleva preço-alvo de ações de siderurgia e mineração

367
(Foto: Freeimages/Daniel Vazquez)

São Paulo – A XP Investimentos elevou o preço-alvo das ações da Vale, Bradespar, Gerdau e Usiminas ao incorporar preços mais elevados das commodities, em especial do minério de ferro. A corretora ainda manteve as recomendações de compra para os papéis, com exceção da Usiminas, que foi mantida como neutro, além de reiterar a preferência pela Vale dentro do setor, o que reflete a forte demanda de minério na China após incentivos do
governo e o movimento de recomposição de estoques da mineradora.

O preço-alvo da Vale foi elevado de R$ 86,00, de R$ 85,00, levando em consideração ao aumento da previsão do preço do minério de ferro para US$ 110,00 a tonelada ao final do ano, ante previsão anterior de US$ 95,00/t. Já para o Bradespar, os analistas da corretora elevaram o preço-alvo para R$ 57,00 por ação, de R$55,00.

Os analistas ainda elevaram o preço-alvo da Gerdau para R$ 25,00, de R$ 22,50, com a alta nos preços do aço e vendas de aços longos ainda fortes diante de boa atividade na construção civil. Para a Metalúrgica Gerdau, controlada da Gerdau, atualizaram o preço-alvo para R$ 11,70, de R$ 10,50.

“O setor siderúrgico no Brasil tem espaço para mais aumentos de preços devido ao dólar alto e aos preços internacionais saudáveis, além da paridade de importação negativa atualmente (inferior a -10%, em nossa opinião”, disseram, em relatório.

Em relação à Usiminas, por sua vez, o preço-alvo foi elevado para R$ 12,00, de R$ 8,50, com os novos preços de commodities e uma recuperação mais rápida do que o esperado no setor automotivo. “Vemos uma recuperação gradual dos volumes de aços planos no segundo semestre (fechando 2020 em queda de 12% vs. 2019) com uma demanda ligeiramente melhor e um movimento de recomposição de estoques no setor automotivo”, disseram.