Weg prevê segundo semestre desafiador em projetos de ciclo longo

São Paulo, 29 de abril de 2021 – A Weg mostrou cautela em relação às perspectivas para os negócios da companhia, devido às incertezas relacionadas aos efeitos da pandemia no Brasil e mostrou boas perspectivas para os negócios relacionados às energias eólica e solar.

“Ainda estamos situações de mercado atípicas devido ao agravamento da pandemia. Ainda assim, a companhia registrou boa entrada de pedidos no começo do ano. O segundo semestre deve continuar a apresentar desafios, especialmente na carteira de ciclo longo no Brasil”, disse André Luis Rodrigues, diretor financeiro e de RI da Weg, em teleconferência com investidores sobre os resultados do primeiro trimestre.

O executivo disse que, no primeiro trimestre, houve recuperação em mineração, saneamento, energia e celulose no mercado externo.

“Em geração, transmissão e distribuição (GTD), temos uma carteira saudável, com entregas programadas até 2022 na América do Norte e já consideramos aumento de capacidade nos Estados Unidos. No Brasil, teremos a entrada de projetos de geração eólica no segundo semestre, o que contribuirá para o aumento de receita”, disse.

“A Weg está desenvolvendo um novo aerogerador, que aumentou nossa competitividade, e temos três contratos com previsão de entrega para os próximos três anos”, disse André Salgueiro, gerente de RI da Weg.

A empresa disse que fechou o primeiro trimestre próximo da capacidade plena em suas plantas e comprou uma fábrica em Betim (MG), e está investindo em aumento de capacidade de T&D nos Estados Unidos, na China e na India.

Para suportar essa expansão, a empresa vai aumentar a projeção de investimentos para R$ 1 bilhão em 2021, de uma faixa entre R$ 530-540 milhões nos últimos três anos.

A empresa teve bom desempenho em projetos de ciclo longo, que contribuem para a obtenção de melhores margens.

A companhia disse que a área de negócio que mais cresce na companhia é a de geração distribuída (GD), que deve ser beneficiada caso a legislação relacionada ao segmento, atualmente em discussão no legislativo, avance no sentido de regulamentar os incentivos à instalação de sistemas solares fotovoltaicos em unidades residenciais e comerciais.

A empresa também atua em solar com geração centralizada, com a fabricação equipamentos, como eletrocentros.

Em relação ao plano de investimentos em infraestrutura anunciados pelo presidente dos Estados Unidos, a empresa vê boas perspectivas na área de geração de energia.