Vice-presidente Mike Pence se opõe a impeachment de Trump

75
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o vice-presidente Mike Pence / Foto: Casa Branca

São Paulo – O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, se opôs ao impeachment do atual presidente do país, Donald Trump, ao rejeitar o pedido dos democratas de invocar a 25a emenda da Constituição norte-americana, que responsabilizaria Trump por seu papel na invasão do Capitólio na semana passada.

“Não acredito que tal curso de ação seja no melhor interesse de nossa nação ou seja consistente com nossa Constituição”, disse Pence, em uma carta enviada à presidente da Câmara dos Deputados, a democrata Nancy Pelosi.

A Câmara aprovou uma resolução pedindo que Pence invoque a emenda, por 223 votos a favor e 205 contrários. A emenda permite ao vice-presidente e ao gabinete destituir um presidente considerado impróprio para o trabalho. Os democratas acusam Trump de crimes e contravenções por desencadear uma insurreição e interromper a transferência pacífica do poder no país.

No dia 6 de janeiro, apoiadores de Trump invadiram o Capitólio para contestar o resultado da eleição de 3 de novembro a pedido do próprio presidente, enquanto deputados e senadores certificavam a vitória de Joe Biden. Pelo menos 68 pessoas foram presas e quatro morreram.

Segundo Pence, na carta, ele não vai ceder a esforços da Câmara para “jogar jogos políticos”, e disse que invocar a 25a emenda, que lida com a incapacidade ou inabilidade de um presidente, não é um meio de punição ou usurpação, e se invocada desta forma “criaria um precedente terrível”.

“Após os eventos horríveis da semana passada, a energia da nossa administração está direcionada para garantir uma transição ordenada”, disse Pence. “Eu apelo a você e a todos os membros do Congresso que evitem ações que vão dividir ainda mais e inflamar as paixões do momento”, afirmou ele.

“Trabalhe conosco para baixar a temperatura e unir nosso país enquanto nos preparamos para a posse do presidente eleito Joe Biden como o próximo presidente dos Estados Unidos”, concluiu.

Na segunda-feira, os 36, na segunda vez que o presidente se aproxima de uma remoção. Ao menos cinco republicanos se juntarão aos democratas no impeachment do presidente. Biden toma posse no dia 20 de janeiro.