Vendas reais da indústria paulista crescem 0,9% em setembro

1036

São Paulo, SP – As vendas reais da indústria paulista cresceram 0,9% no mês de setembro ante agosto, aponta Levantamento de Conjuntura da Fiesp e do Ciesp. Os destaques setoriais no mês foram máquinas e equipamentos (+8,4%), papel e celulose (+4,2%) e
têxtil (+3,8%).

A variação das horas trabalhadas na produção foi de +0,4%, e dos salários reais médios, +0,1%. O NUCI oscilou negativamente de 79,7% para 79,5% (-0,2 p.p.).

No terceiro trimestre, as vendas reais da indústria de transformação paulista cresceram 2% após avanços de 5,8% e 2,9% no primeiro e segundo trimestres do ano. Tanto as horas trabalhadas na produção (+0,9%), quanto os salários reais médios (+2,2%), tiveram a mesma direção positiva trimestral no setor. O NUCI, no entanto, retraiu 0,5 p.p. no período. Todos os dados acima apresentados estão livres de influência sazonal.

Na ótica da variação acumulada em 12 meses até setembro, as vendas reais (-4,4%) mantêm a tendência de recuperação, após variação de -7,8% em julho e de -6,7% em agosto.

Os salários reais médios acumulados em 12 meses apresentam resultado positivo (+0,4%) pela primeira vez desde julho de 2018, quando a variação foi de +0,2%. Já as horas trabalhadas na produção acumulada até o mês de setembro pouco se alteraram entre agosto e setembro, 0,5% e 0,4% respectivamente.

SENSOR

O Sensor do mês de outubro encerrou em 48,5 pontos, resultado moderadamente superior ao mês anterior, 48,3 pontos. Leituras abaixo de 50,0 pontos indicam retração da atividade industrial paulista no mês.

O indicador de mercado (setor de atuação) avançou 0,3 ponto, de 48,9 para 49,2 pontos entre a leitura anterior e a atual. Por estar abaixo dos 50,0 pontos, há indicação de
piora das condições de mercado.

O componente de vendas ficou relativamente estável ao recuar de 50,6 pontos em setembro para 49,8 pontos em outubro. Por estar próximo dos 50,0 pontos, há indícios de
estabilidade das vendas no mês.

O estoque continua acima do planejado pelo nono mês consecutivo, ao marcar 43,2 pontos em outubro ante 44,6 pontos do mês anterior. Leituras inferiores a 50,0 pontos indicam
estoque acima do desejável.

O indicador de emprego encerrou em 46,5 pontos na leitura mais recente. Resultados abaixo de 50,0 pontos indicam perspectiva de redução no mês.

Por fim, o indicador de investimentos apresentou resultado positivo no mês ao encerrar em 54,6 ante 49,1 pontos do mês anterior. Por estar acima dos 50,0 pontos, há expectativa
de crescimento dos investimentos no mês.