Vendas no varejo caem 1,6% em junho, de acordo com Índice Cielo do Varejo Ampliado

53
Divulgação: Logo da Cielo

São Paulo – O faturamento do Varejo em junho caiu 1,6%, descontada a inflação, em comparação com o mesmo mês de 2023, de acordo com o Indice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). Em termos nominais, que espelham a receita de vendas observadas pelo varejista e embutem a inflação, houve alta de 2,8%.

Os três macrossetores – Bens Duráveis e Semiduráveis, Bens Não Duráveis e Serviços registraram queda. No caso de Bens Duráveis e Semiduráveis (-3,0%), o segmento que mais impactou o resultado foi Vestuário e Artigos Esportivos. No caso de Bens Não Duráveis (-1,3%), o desempenho de Livrarias e Papelarias foi o que mais pesou para a baixa. Estética e Cabeleireiros foi o segmento que mais prejudicou o macrossetor de Serviços (-1,0%).

Houve, porém, crescimento em segmentos vinculados ao Dia dos Namorados, comemorado no dia 12 de junho, tais como Óticas e Joalherias, Varejo Alimentício Especializado e Recreação e Lazer. O calendário também suavizou o resultado porque em 2024 não houve feriado de Corpus Christi em junho (diferente de 2023). Com isso o mês contou com um dia útil a mais que no ano passado.

Assim como o Dia das Mães representou um alento para o Varejo no mês de maio, em junho foi a vez do Dia dos Namorados desempenhar esse papel. O resultado dos chamados segmentos presenteáveis não foi suficiente para estancar a queda do faturamento em geral, mas a data amenizou resultado que seria ainda mais negativo, afirma Carlos Alves, vice-presidente de Tecnologia e Negócios da Cielo.

E-COMMERCE E VENDAS PRESENCIAIS

O Indice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), prévia do IPCA divulgada pelo IBGE, registrou alta de 0,39% para o mês de junho. Segundo o instituto, o principal impacto de alta veio do reajuste de preços dos alimentos.

Ao ponderar o IPCA e o IPCA-15 pelos setores e pesos do ICVA, a inflação do varejo ampliado acumulada em 12 meses em junho foi de 4,06%.

INFLAÇÃO

De acordo com o ICVA deflacionado e com ajuste de calendário, os resultados de cada região em relação a junho de 2023 foram: Sul (+0,7%), Sudeste (-0,2%), Norte (-0,6%), Centro-Oeste (-1,1%) e Nordeste (-1,8%). Pelo ICVA nominal que não considera o desconto da inflação e com ajuste de calendário, os resultados foram: Sul (+5,2%), Sudeste (+4,4%), Norte (+3,6%), Centro Oeste (+3,2%) e Nordeste (+3,1%).

REGIÕES

As vendas no 2º trimestre de 2024 caíram 1,2%, já descontada a inflação, em relação ao mesmo trimestre de 2023. Em termos nominais, houve crescimento: 2,5%.

VENDAS NO 2º TRIMESTRE DE 2024

Já descontada a inflação, as vendas no 1º semestre de 2024 caíram 0,7% relação ao mesmo semestre em 2023. Houve retração do Varejo em quatro meses do semestre: janeiro, março, abril e junho.

Em termos nominais, o faturamento do Varejo subiu 3,0% no semestre.