Venda de refinarias da Petrobras renderá menos que o previsto, diz XP

Refinaria Henrique Lage (Revap). (Foto: Ehder de Souza/Agência Petrobras)
Refinaria Henrique Lage (Revap). (Foto: Ehder de Souza/Agência Petrobras)

São Paulo – A XP investimentos reavaliou as estimativas para as refinarias da Petrobras à venda após o Tribunal de Contas da União (TCU) decidir agilizar a produção de um relatório técnico que apontará se a refinaria Refinaria Landulpho Alves (Rlam) foi vendida por um preço inferior ao de mercado.

A Petrobras anunciou a venda da refinaria por US$ 1,65 bilhão para a Mubadala Capital, mas analistas e o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense apontaram que o valor ficou aquém do preço de mercado.

“De acordo com nossas premissas revisadas, estimamos um valor total entre US$ 3,53 bilhões e US$ 4,77 bilhões para as refinarias da Petrobras à venda, implicando um valor por ação potencial entre R$ 0,98/ação e R$ 1,33/ação (4,1% a 5,5% do valor de mercado atual da companhia) uma redução da Dívida Líquida/Ebitda entre (0,08)x e (0,11)x ante o nível de 2,22x reportado pela empresa no 4T20”, disseram os analistas da XP.

Antes, os analistas Gabriel Francisco e Maira Maldonado esperavam de US$ 7,9 bilhões a US$ 10,5 bilhões com a venda, já excluindo a Rlam. Porém, destacam a importância do processo de venda das refinarias apesar dos valores menores, já que acreditam que ela trará diversos benefícios, como redução de endividamento e maior capacidade de distribuição de dividendos.

Eles ainda ressaltam que as vendas e a redução da capacidade da estatal de formação de preços em todo o território nacional têm um significado muito maior do ponto de vista de segurança energética do Brasil no futuro.

“A razão por trás dessa visão é que o Brasil exigirá maiores investimentos para aumentar a capacidade local de abastecimento de combustíveis e derivados de petróleo, a fim de se evitar uma situação de escassez local de tais produtos ao longo da próxima década”, disseram os analistas.

Para o BTG Pactual, o questionamento do valor da venda da refinaria na Bahia traz “uma dose adicional de risco para a capacidade da Petrobras em cumprir seu programa de desinvestimento.”

Os analistas do banco ainda analisam que a mudança no valor pode ter variáveis como localização geográfica, riscos locais políticos e econômicos inerentes. A sua estimativa é que as vendas das refinarias rendam cerca de US$ 8,3 bilhões à Petrobras.