Veja detalhes do acordo EUA-China nas exportações e importações

199
Donald Trump EUA China Liu He
O vice-premiê da China, Liu He, e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Foto: Divulgação/ Casa Branca

Por Carolina Gama

São Paulo – Os governos de Estados Unidos e China assinaram hoje a primeira fase do acordo comercial que estabelece uma trégua na guerra entre as duas maiores economias do mundo. Entre outros pontos, o pacto fixa a compra de produtos norte-americanos pelos chineses.

Segundo os termos do acordo inicial, durante o período de dois anos – que vai de 1 de janeiro de 2020 a 31 de dezembro de 2021 -, a China garantirá que as compras dos Estados Unidos de bens manufaturados, agrícolas, de energia e serviços atinjam pelo menos US$ 200 bilhões.

Todos os valores estabelecidos pelo acordo têm como base a importação de produtos norte-americanos pela China em 2017.

MANUFATURADOS

A categoria de manufaturados inclui maquinário industrial, maquinário e equipamentos elétricos, produtos farmacêuticos, aeronaves (pedidos e entregas), veículos, instrumentos ópticos e médicos, ferro e aço, além de outros itens como madeira e produtos químicos.

Para essa categoria, a China deve adquirir não menos que US$ 32,9 bilhões em 2020 e não menos que US$ 44,8 bilhões em 2021, totalizando US$ 77,7 bilhões nos dois anos do pacto em vigor.

AGRICULTURA

A categoria de produtos agrícolas inclui oleaginosas, carnes, cereais, algodão, frutos do mar e outros itens como laticínios, suplementos alimentares, bebidas destiladas, óleos essenciais, etanol, frutas e legumes, vinhos, lagostas, entre outros.

Para essa categoria, a China deve adquirir não menos que US$ 12,5 bilhões em 2020 e não menos que US$ 19,5 bilhões em 2021, totalizando US$ 32 bilhões em dois anos.

O pacto indica ainda que, a pedido do governo norte-americano, Pequim se esforçará para comprar US$ 5 bilhões por ano em produtos agrícolas dos Estados Unidos abrangidos por este capítulo, além dos valores mínimos estabelecidos.

ENERGIA

A categoria de energia inclui gás natural liquefeito, petróleo, produtos refinados e carvão, entre eles, o carvão metalúrgico.

Para essa categoria, a China deve adquirir não menos que US$ 18,5 bilhões em 2020 e não menos que US$ 33,9 bilhões em 2021, totalizando US$ 52,4 bilhões nos dois anos do acordo em vigor.

SERVIÇOS

A categoria de serviços inclui uso de IP, viagens de negócios e turismo, serviços financeiros e seguros, serviços em nuvens e afins, além de outros serviços.

Para essa categoria, a China deve adquirir não menos que US$ 12,8 bilhões em 2020, e não menos que US$ 25,1 bilhões em 2021, totalizando US$ 37,9 bilhões.

VALOR TOTAL DO ACORDO

Considerando as categorias citadas acima, este ano, as compras de produtos norte-americanos pela China devem somar pelo menos US$ 76,7 bilhões e subir para US$ 123,3 bilhões em 2021, atingindo o total de US$ 200 bilhões.