UE propõe restrição temporária a viagens por 30 dias

289

São Paulo – A Comissão Europeia anunciou uma proibição de 30 dias para a entrada de estrangeiros na União Europeia (UE) em uma tentativa de combater a propagação da pandemia do novo coronavírus. A medida, que pode ser ampliada por mais 30 dias, ainda precisa ser aprovada por cada membro do bloco.

Segundo a presidente do braço executivo da UE, Ursula von der Leyen, haverá exceções para a proibição, incluindo residentes de longa data da UE, familiares de cidadãos da UE, diplomatas, médicos e pesquisadores que trabalham para conter a crise da saúde.

“Quanto menos viagens, mais podemos conter o vírus. Portanto proponho aos chefes de estado e de governo que introduzam restrições temporárias a viagens não essenciais à UE”, disse a Von der Leyen em entrevista coletiva.

“Essas restrições de viagem devem estar em vigor por um período inicial de 30 dias, mas podem ser prolongadas conforme necessário”, acrescentou.

Segundo ela, o sistema de saúde europeu está em colapso por conta da disparada de casos de novo coronavírus na região.

A chefe da Comissão Europeia disse ainda que países associados a Schengen, como Suíça, Islândia, Noruega e Liechtenstein, que não são membros da UE, seriam incentivados a aderir às restrições.

Schengen é uma convenção entre países europeus sobre uma política de abertura das fronteiras e livre circulação de pessoas entre os signatários.

Os cidadãos do Reino Unido não estão incluídos na proibição, apesar da saída dos britânicos do bloco em janeiro, ainda de acordo com Von der Leyen.