UE espera chegar a acordo com EUA sobre eliminação de tarifas

115
O vice-presidente executivo da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis / Foto: União Europeia

São Paulo – A Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia (UE), apresentou sua nova estratégia de comércio para os próximos anos, e espera trabalhar com a administração do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, sobre a eliminação de tarifas.

“A Europa está repensando o papel do comércio e da política comercial em um mundo caracterizado por mais conflitos geopolíticos e revoltas econômicas”, disse o vice-presidente executivo da UE de Economia que trabalha para pessoas, Valdis Dombrovskis.

Segundo ele, a nova política será aberta, sustentável e assertiva, e a estratégia deve apoiar o crescimento econômico, a criação de empregos e a recuperação da pandemia de covid-19, ao mesmo tempo em que fortalece o multilateralismo e a defesa contra práticas comerciais injustas.

“A força de nossos relacionamentos globais será crítica para alcançar nossos objetivos mais amplos”, disse Dombrovskis, afirmando que a UE já propôs uma nova agenda transatlântica para preparar o caminho para uma reinicialização com o governo de Biden.

“Queremos resolver rapidamente nossas disputas comerciais e restaurar a liderança da UE e dos Estados Unidos como motor de uma mudança global positiva”, afirmou. “Podemos trabalhar em nível bilateral para resolver os atritos comerciais, enquanto avançamos rapidamente nas reformas multilaterais”, como na Organização Mundial do Comércio (OMC).

“Com relação às tarifas, sinalizamos por parte da UE nossa vontade de suspender as tarifas de ambas as partes. Isso implica na eliminação de tarifas referentes tanto ao aço quanto ao alumínio e as tarifas impostas relativas à disputa entre a Airbus e Boeing”, disse. Ele afirmou ainda que espera a confirmação da nova representante comercial norte-americana.

Com relação à China, o objetivo da UE é reestruturar a parceria para ser recíproca, equilibrada e justa, disse ele, citando o recente acordo de investimentos. Ele disse ainda que vai trabalhar com parceiros incluindo os Estados Unidos sobre questões preocupantes como direitos humanos e trabalho forçado.

Dombrovskis destacou ainda que a política comercial deve desempenhar plenamente o seu papel na transformação verde e digital da UE, e que a OMC deve ser reformada e suas regras atualizadas, uma vez que já não garantem condições de concorrência equitativas. “Esperamos engajamento da China na reforma da OMC”, disse.

“Com uma nova administração em Washington e a confirmação da Dra. Ngozi Okonjo-Iweala como nova gerente-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), acreditamos que podemos criar um novo impulso para mudanças positivas”, concluiu.