UE e Reino Unido seguem negociando acordo comercial de Brexit

150
O negociador-chefe da União Europeia (UE) para o Brexit, Michel Barnier / Foto: UE

São Paulo – A União Europeia (UE) e o Reino Unido seguem negociando um acordo comercial pós-Brexit, ultrapassando o prazo estabelecido até ontem pelo Parlamento Europeu, enquanto divergências sobre pesca e outras questões permanecem.

O negociador-chefe da UE para o Brexit, Michel Barnier, se encontrou ontem em Bruxelas com o negociador britânico, David Frost, e disse que as conversas estão em um momento crucial, afirmando que o Reino Unido deveria ter controle sobre suas águas.

“Neste momento crucial para as negociações, continuamos a trabalhar arduamente com David Frost e sua equipe. A UE continua empenhada num acordo justo, recíproco e equilibrado. Respeitamos a soberania do Reino Unido. E esperamos o mesmo”, disse Barnier, em mensagem ontem no Twitter.

“Ambos UE e Reio Unido devem ter o direito de estabelecer suas próprias leis e controlar suas próprias águas. E nós dois devemos ser capazes de agir quando nossos interesses estão em jogo”, acrescentou. A questão da pesca é um dos principais pontos de impasse nas negociações, assim como a igualdade de condições.

Na ausência de um acordo, as conversas ultrapassaram o prazo definido pelo Parlamento Europeu até ontem para que ambos os lados apresentassem um texto do acordo que pudesse ser votado em tempo hábil para entrar em vigor em 1 de janeiro, após o fim do período de transição do Brexit.

“O procedimento parlamentar normal para um acordo não é mais possível. Não é possível a ratificação até 31.12.2020. Agora temos que pensar muito objetivamente sobre como lidar com a situação”, disse o presidente da Comissão de Comercio do Parlamento Europeu, Bernd Lange, no Twitter.

“O Parlamento Europeu não estará em posição de aprovar um acordo este ano”, disse o presidente da Comissão de Relações Exteriores do Parlamento Europeu, David McAllister. Ele convocou uma reunião extraordinária para hoje do Grupo de Coordenação do Reino Unido. “Analisamos exaustivamente a situação atual e discutimos os possíveis cenários com o serviço jurídico do Parlamento Europeu”.

Ele disse ainda que o Parlamento “está empenhada em tomar todas as medidas que minimizem as interrupções para os nossos cidadãos e empresas”, e que mais tarde vou encontrar com o presidente da instituição, David Sassoli, para discutir os próximos passos.