UE e China assinam acordo comercial para proteção de bens agrícolas

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – A União Europeia (UE) e a China assinaram um acordo comercial para proteger produtos agrícolas de alta qualidade vindos de 100 indicações geográficas europeias e 100 chinesas contra imitações e usurpações.

Foto: Etienne Ansotte/Serviço Audiovisual da Comissão Europeia

“Espera-se que esse acordo histórico resulte em benefícios comerciais recíprocos e demanda por produtos de alta qualidade de ambos os lados”, de acordo com a Comissão Europeia, braço executivo da UE, em comunicado.

Segundo o chefe da UE para Agricultura e Desenvolvimento Rural, Phil Hogan, os produtos de indicação geográfica são reconhecidos por sua qualidade, os consumidores estão dispostos a pagar um preço mais alto, confiando na origem e autenticidade desses produtos.

“Este acordo mostra nosso compromisso em trabalhar em estreita colaboração com nossos parceiros comerciais globais, como a China. É uma vitória para ambas as partes, fortalecendo nosso relacionamento comercial, beneficiando nossos setores agrícola e de alimentos e consumidores de ambos os lados”, disse ele.

O acordo precisa ser aprovado pelo Parlamento Europeu e o Conselho, e deve entrar em vigor antes do final de 2020, segundo a UE. A Comissão destacou que a China é o segundo destino das exportações agroalimentares da UE, atingindo 12,8 bilhões de euros entre setembro de 2018 e agosto de 2019.

A lista do bloco europeu de indicações geográficas que serão protegidas na China inclui produtos como cava, champanhe, queijo feta e manchego, uísque irlandês, vodca polonesa, vinho do Porto e presunto de Parma. Entre os produtos chineses estão chá branco Anji e arroz Panjin, entre outros.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com