UE compra doses extras de vacina de Pfizer-BioNTech com suspensão de J&J

Foto: União Europeia (UE)

São Paulo – A União Europeia (UE) anunciou a compra de 50 milhões de doses adicionais da vacina contra covid-19 desenvolvida pela Pfizer e BioNtech para o segundo trimestre deste ano, após a Johnson & Johnson (J&J) interromper a entrega de doses para a Europa.

“Fechamos um acordo com a BioNTech-Pfizer para, mais uma vez, agilizar a entrega de vacinas. 50 milhões de doses adicionais de vacinas BioNTech-Pfizer serão entregues no segundo trimestre deste ano, a partir de abril”, de acordo com a presidente da Comissão Europeia, braço executivo da UE, Ursula von der Leyen.

“Essas 50 milhões de doses estavam inicialmente previstas para entrega no quarto trimestre de 2021. Agora, elas estão disponíveis no segundo trimestre. Isso elevará o total de doses distribuídas pela BioNTech-Pfizer para 250 milhões de doses no segundo trimestre”.

Von der Leyen disse ainda que a UE está agora em negociação com a BioNTech-Pfizer para um terceiro contrato, que prevê a entrega de 1,8 bilhão de doses de vacina ao longo do período de 2021 a 2023. “E implicará que não só a produção das vacinas, mas também de todos os componentes essenciais, terá a sua sede na UE”, afirmou.

Ontem, a J&J anunciou que irá atrasar a entrega da vacina planejada na Europa depois que agências de saúde do governo dos Estados Unidos recomendaram pausar o uso do imunizante devido a preocupações com seis pessoas que desenvolveram um raro distúrbio de coagulação do sangue.

“Tomamos a decisão de adiar proativamente o lançamento de nossa vacina na Europa”, disse a empresa, observando que até agora administrou mais de 6,8 milhões de doses de sua vacina de dose única contra covid-19.

Segundo Von der Leyen, a vacinação está ganhando velocidade em toda a Europa, com 100 milhões de doses aplicadas na UE, e mais de 27 milhões de pessoas totalmente vacinadas, rumo à meta do bloco de vacinar 70% dos adultos no verão europeu.

O anúncio da J&J, porém, mostra que “ainda existem muitos fatores que podem atrapalhar o cronograma planejado de entrega das vacina”, e assim a Comissão está aumentando o fornecimento de vacinas nas próximas semanas e meses, concluiu a chefe da UE.