Tusk defende “backstop” na fronteira irlandesa em acordo de Brexit

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, defendeu a solução “backstop” na fronteira irlandesa como uma garantia para evitar uma fronteira física, rebatendo às criticas feitas pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

“O ‘backstop’ é uma garantia para evitar uma fronteira física na ilha da Irlanda, ao menos e até que uma alternativa seja encontrada. Aqueles que estão contra o ‘backstop’ e não propõem alternativas realistas, de fato, apoiam o restabelecimento de uma fronteira. Mesmo que eles não admitam isso”, disse Tusk, no Twitter.

Johnson enviou ontem uma carta a Tusk, dizendo que ainda é possível que o Parlamento britânico aprove um acordo para o Brexit com a União Europeia (UE) caso a solução “backstop” na fronteira irlandesa seja retirada. Ele a considera “antidemocrática e inconsistente com a soberania do Reino Unido como um Estado”.

O mecanismo visa a manter a Irlanda do Norte, parte do Reino Unido, temporariamente na união aduaneira do bloco europeu para evitar uma fronteira física com a Irlanda, país membro da UE. A oposição ao “backstop” levou o atual acordo do Brexit a ser rejeitado três vezes no Parlamento britânico, e levou à renúncia da então premiê Theresa May.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk/Foto: Divulgação/ Conselho Europeu
WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com