Trump volta a acusar China de resposta lenta ao novo coronavírus

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que a China cometeu “um enorme erro” ao não informar mais cedo sobre a pandemia do novo coronavírus. Segundo ele, os norte-americanos estão investigando a situação e, caso necessário, darão uma resposta.

“Eu acho que eles cometeram um grande erro que não querem admitir”, afirmou Trump em entrevista ao canal Fox News em evento no Lincoln Center, em Washington. O presidente afirmou que caso necessário, poderá avaliar a aplicação de penalidades tarifárias sobre o país como resposta.

“Em 23 de janeiro, eu fui informado apenas de que estava vindo um vírus, mas que ele era desimportante. Mesmo assim, quis fechar nossa fronteira com eles, apesar das críticas”, afirmou Trump.

O presidente norte-americano também defendeu a volta rápida da economia, afirmando que os números de testes e respiradores dos Estados Unidos são os maiores do mundo. “Já fizemos mais de 6,5 milhões de testes, mais até que a Coreia do Sul”, afirmou.

Ele assegurou que os pequenos negócios norte-americanos receberão auxílio de até US$ 3 trilhões, mas que uma vez que a economia seja reaberta, tudo “voltará ao normal”.

“Teremos um terceiro trimestre ótimo, a recuperação será rápida. Fechamos e salvamos milhões de vidas, mas agora é hora de reabrir de forma segura”, concluiu ele.