Trump reconhece derrota em eleições nos EUA e condena caos no Capitólio

123
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Foto: Divulgação/ Casa Branca

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu pela primeira vez sua derrota nas eleições presidenciais de 3 de novembro, e condenou a invasão de manifestantes ao Capitólio durante a sessão de certificação da vitória do presidente eleito Joe Biden.

“Agora o Congresso certificou os resultados. Uma nova administração tomará posse em 20 de janeiro”, disse Trump, em declaração em vídeo. “Meu foco agora se volta para garantir uma transição de poder suave, ordenada e sem costuras”.

Trump disse diversas vezes que jamais reconheceria a derrota para Biden, repetindo acusações infundadas de fraude nas eleições. Na quarta-feira, durante a sessão de confirmação da vitória do democrata no Congresso, Trump pediu que seus apoiadores agissem contra a certificação.

Policias e manifestantes armados entraram em conflito na frente do edifício do Capitólio, onde ficam o Senado e a Câmara dos Deputados norte-americanos. Policiais soltaram bombas de gás lacrimogênio na tentativa de tomar controle dos manifestantes.

A Guarda Nacional foi acionada, a prefeitura de Washington D.C. decretou um
troque de recolher na cidade e o estado da Virgínia declarou estado de emergência. A prefeita de Washington, D.C., Muriel Bowser, disse que 68 pessoas foram presas e quatro morreram.

“Como todos os norte-americanos, eu estou ultrajado pela violência” do ataque ao Capitólio dos Estados Unidos, disse Trump, no vídeo. “Os Estados Unidos sempre foram e sempre serão um país de lei e ordem. Os manifestantes que se infiltraram no Capitólio desafiaram a semente da democracia norte-americana”.

“Para aqueles que se envolveram em atos de violência e destruição, vocês não representam nosso país. E para aqueles que infringiram a lei, vocês vão pagar”, disse Trump.

“Acabamos de passar por uma eleição intensa, e as emoções estão altas. Agora os ânimos devem ser resfriados e a calma restaurada. Devemos continuar com os negócios dos Estados Unidos”.

Ele disse ainda que sua equipe legal procurou todas as vias legais para contestas os resultados das eleições, com o objetivo de garantir a “integridade do voto” e “defender a democracia norte-americana”.

“Continuo a creditar fortemente que devemos reforçar as leis eleitorais  para verificar a identidade e elegibilidade de todos os eleitores, e garantir fé e confiança em toas as eleições futuras”, disse. “Derrotar esta pandemia e reconstruir a maior economia da Terra vai requerer que todos nós trabalhemos juntos”.