Trump pode receber alta do hospital ainda hoje, dizem médicos

96
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Foto: Divulgação/ Casa Branca

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos Donald Trump, que está com covid-19 e foi internado no hospital militar Walter Reed na
sexta-feira, continua a melhorar e pode receber alta ainda hoje, de acordo com seus médicos.

“O presidente continua a melhorar”, disse o médico Sean Conley, em coletiva de imprensa ontem. Segundo ele, “há altos e baixos no percurso, ainda mais quando um paciente é observado tão de perto”.

Conley disse que o presidente experimentou duas quedas nos níveis de saturação de oxigênio. No final da manhã de sexta-feira, antes de ser internado no hospital, Trump teve febre alta e sua saturação caiu para menos de 94%, e precisou de suplementação de oxigênio.

Depois disso, Trump teve apenas sintomas leves, mas ainda assim equipe médica achou melhor encaminhá-lo para o hospital para ser monitorado de perto, disse Conley. O outro episódio de queda de saturação foi ao longo do dia no sábado, para cerca de 93%, afirmou.

Ao ser questionado se Trump precisou de oxigênio suplementar mais uma vez no sábado, Conley não deu uma resposta clara, e disse: “Eu teria que checar com a enfermagem. Acho que não. Se recebeu, foi muito limitado”.

A equipe médica disse na coletiva que o presidente está sendo tratado com dexametasona, e que se ele continuar bem como estava no domingo, pode receber alta e continuar seu tratamento a partir de hoje na Casa Branca.

Conley também foi questionado sobre os relatos ambíguos sobre a saúde do presidente durante o final de semana. O médico disse no sábado que Trump estava bem e, em seguida, o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, disse que a situação era “muito preocupante”.

“O chefe e eu trabalhamos lado a lado”, disse Conley na coletiva de ontem. “E acho que sua declaração foi mal interpretada. O que ele quis dizer é que há 24 horas, quando eu e ele estávamos verificando o presidente, houve aquele episódio momentâneo de febre alta e aquela queda temporária da saturação, que nos levou a agir com rapidez para trazê-lo para cá”, afirmou.

“Felizmente, esse foi realmente um episódio limitado muito transitório, algumas horas depois ele estava de volta, com sintomas suaves novamente. Você sabe, nós, não vou especular sobre o que era aquele episódio limitado tão cedo no percurso mas ele está bem.”