Trump é retirado de coletiva por agentes do serviços secreto após tiroteio

148

São Paulo – O presidente norte-americano, Donald Trump, foi interrompido por um agente do serviços secreto dos Estados Unidos enquanto fazia declarações em sua coletiva de imprensa diária. O motivo foram tiros ouvidos do lado de fora das grades da Casa Branca.

Antes de ser retirado do local, que estava cheio de agentes e também tinha a presença de membros do governo como o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, Trump falava sobre os ganhos do mercado de ações norte-americano, que vem renovando recordes nas últimas sessões.

Após quase dez minutos aguardando no salão Oval da Casa Branca, Trump foi autorizado a voltar para a coletiva. Segundo ele, tiros foram disparados do lado de fora da Casa Branca e uma pessoa ficou ferida e foi levada ao hospital.

“Não sei ao certo o que aconteceu. As informações serão repassadas mais tarde pelos agentes secretos. O que sei é que estava falando com vocês e um agente do serviço secreto entrou, falou ao meu ouvido que eu precisava sair e foi o que fiz”, disse Trump. “Os agentes são fantásticos e agiram muito bem”, acrescentou.

De acordo com informações de repórteres no local, o atirador teria sido atingido por um dos agentes do serviço secreto, mas essa notícia ainda não foi confirmada oficialmente.

Trump seguiu com a coletiva por cerca de uma hora e ao final se desculpou com o repórteres presentes no local. “Desculpem pelo transtorno. Essas coisas acontecem, não tem muito o que fazer”, disse.