Trump diz que comandante iraniano deveria ter sido morto há muitos anos

249

Por Carolina Gama

São Paulo – O presidente norte-americano, Donald Trump, acusou o comandante das forças Quds, uma unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã, de matar e ferir gravemente milhares de norte-americanos, afirmando que o general deveria ter sido morto há muito tempo.

“O general Qassem Soleimani matou ou gravemente feriu milhares de norte-americanos durante um longo período e planejava matar muito mais, mas foi pego. Ele foi direta e indiretamente responsável pela morte de milhões de pessoas, incluindo o recente grande número de manifestantes mortos no próprio Irã”, disse Trump em uma série de mensagens no Twitter.

As declarações acontecem depois que, na madrugada, um ataque com míssil dos Estados Unidos perto do aeroporto de Bagdá, no Iraque, matou Soleimani e o número dois das Forças de Mobilização Popular do Irã, o comandante Abu Mahdu al-Muhandis. Teerã prometeu retaliar.

“Embora o Irã nunca seja capaz de admitir adequadamente, Soleimani era odiado e temido no país. Eles não estão tão tristes quanto os líderes permitirão que o mundo exterior acredite. Ele deveria ter sido morto há muitos anos”, afirma Trump em outra mensagem na rede social.

O Pentágono confirmou o ataque realizado pelos Estados Unidos e a Casa Branca informou que a ordem partiu de Trump.