Transações com cartões crescem 10% no terceiro trimestre, para R$ 506,3 bilhões

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito, a expansão reflete a consolidação da recuperação iniciada em maio

185
cartão de crédito, american express

São Paulo – Os pagamentos feitos por meio de cartões de crédito, débito e pré-pagos cresceram 10% no terceiro trimestre do ano, na comparação com o mesmo período do ano anterior, movimentando R$ 506,3 bilhões, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito (Abecs), refletindo a consolidação da recuperação iniciada em maio.

A entidade atribuiu a recuperação ao crescimento do comércio varejista, ao pagamento do auxílio emergencial, aumento dos preços dos alimentos e à queda nas taxas de juros que impulsionou a oferta de concessões de crédito.

No acumulado do ano, o crescimento é de 5,4% e soma R$ 1,38 trilhões, excluindo a movimentação de R$ 35,9 bilhões em cartão de débito relativa ao pagamento do auxílio emergencial pelo governo federal durante a pandemia.

No terceiro trimestre, R$ 295,3 bilhões foram movimentados em transações com cartões de crédito, alta de 1,1% em base anual, enquanto R$ 198,4 bilhões foram movimentados no débito, expansão de 21,6% na mesma base de comparação e R$ 12,6 bilhões por meio de cartões pré-pagos, elevação de 114,9%.

No período, o crescimento de cartões de débito e pré-pago já é maior do que antes da crise, de 26,4% e 125,7% em setembro, ante 12,6% e 74,4% em setembro de 2019.

O uso dos cartões na internet, em aplicativos e outros tipos de compras não presenciais cresceu 49,3% no trimestre, chegando a R$ 126,2 bilhões e 31,4% no acumulado do ano, para R$ 306,9 bilhões, reflexo da política de isolamento social, que impulsionou o comércio eletrônico e os serviços de delivery em todo o País.

No período, os pagamentos por aproximação por meio da tecnologia Near Field Communication (NFC) movimentaram R$ 14,4 bilhões, uma elevação de 622,5% em base anual de comparação e R$ 22,7 bilhões de janeiro a setembro, alta de 478,7% em base anual.