Tráfego da CCR continua em queda livre em todas as concessões

São Paulo – Seguindo a divulgação semanal de tráfego durante o período de crise causado pela pandemia do Covid-19, nome do novo coronavírus, a Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) informa os resultados de 10 a 16 de abril de forma agregada e por divisão sobre a movimentação nas concessões sob sua gestão.

O boletim semanal é divulgado durante o fim de semana e abrange o período de sete dias entre a sexta-feira da semana antecedente e a quinta-feira mais recente. As informações são divulgadas na forma de eixos equivalentes.

Entre 10 e 16 de abril, o tráfego total de veículos nas rodovias da CCR registrou queda de 34,1%, sendo que os veículos de passeio tiveram queda de 53,2% e o comercial baixa de 17,4%. Sem a ViaSul, o tráfego caiu 37,1% no período, sendo que os leves caíram 55,5% e o comercial 21,2%.

No acumulado de janeiro a 16 de abril, a CCR registra queda de 0,9%, sendo os veículos de passeio caíram 7,8% e o comercial subiu 5,4%. Sem a ViaSul, houve queda de 6,3% enquanto os veículos de passeio caíram 13,8% e o comercial teve alta de 0,5%.

Na CCR Infra SP, que abrange outras rodovias que não são de capital aberto, incluindo AutoBAn e ViaOeste, de capital aberto, houve queda de 39,2% entre 10 e 16 de abril, sendo que os veículos leves caíram 56,3% e o comercial 21,5%. Entre janeiro até o dia 16 de abril, o segmento registrou queda de 7,9%, sendo que os veículos caíram 14,5% e o comercial 0,9%.

Na LAM Vias, que também abrange outras concessões que não possuem capital aberto, houve baixa de 23,5%, sendo que os veículos leves tiveram baixa 44,6% e o comercial de 10,8%. Sem ViaSul, houve queda de 32,1% até o dia 16 de abril, sendo que os veículos de passeio caíram 52,8% e comercial 20,7%.

Entre janeiro até o dia 16 de abril, a LAM Vias teve alta de 13,3%, sendo que os veículos de passeio subiram 9,7% e o comercial 15,7%. Sem a ViaSul, a queda total é de 2,9% enquanto os veículos de passeio caíram 12% e o comercial subiu 2,8%.

Na concessão Mobilidade, houve queda de 79,3% até o dia 16 de abril, enquanto nos Aeroportos a queda foi de 97,7% no período. Entre janeiro até o dia 16 de abril, o segmento de Mobilidade registra queda de 16,3% e o de Aeroportos baixa de 22,1%.