TikTok abre processo formal contra governo de Trump por proibição

213
tiktok, celular
O aplicativo chinês TikTok é um dos mais populares no mundo/ Créditos: Pixabay

São Paulo – A TikTok anunciou hoje a abertura de um processo formal contra o governo de Donald Trump para contestar a proibição do aplicativo de compartilhamento de vídeo chinês nos Estados Unidos.

Mais cedo, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, disse que o governo chinês apoia as ações legais de empresas chinesas para defender direitos em uma referência à ByteDance, empresa chinesa que controla o TikTok e que anunciou ontem que entraria com uma ação contra a Casa Branca.

Na nota de hoje, o TikTok diz que “não teve escolha” a não ser proteger seus direitos contra o decreto presidente norte-americano e a alegação de que o aplicativo é uma ameaça à segurança nacional.

“Não julgamos o governo levianamente, no entanto, sentimos que não temos escolha a não ser tomar medidas para proteger nossos direitos e os direitos de nossa comunidade e funcionários”, diz o comunicado.

“A China continua a apoiar empresas relevantes a usar armas legais para defender seus legítimos interesses e continuará a tomar todas as medidas necessárias para defender os direitos legais das empresas chinesas”, disse Zhao em uma entrevista coletiva em Pequim.

Trump deu até 15 de setembro para que uma companhia norte-americana adquira as operações do TikTok nos Estados Unidos ou então banirá o uso do aplicativo em território norte-americano. Trump alega que o TikTok rouba informações de seus usuários e as repassa para o governo chinês – algo que Pequim já negou.

“Discordamos veementemente da posição do governo de que o TikTok é uma ameaça à segurança nacional e articulamos essas objeções anteriormente”, acrescenta o comunicado.
Microsoft, Twitter e Oracle estão entre as empresas que já manifestaram interesse em adquirir o aplicativo nos Estados Unidos, mas nenhum acordo foi fechado até o momento.