Site da Renner segue fora do ar após ataque hacker e cia deve perder receita

Foto divulgação: Lojas Renner

São Paulo – O e-commerce das Lojas Renner segue fora do ar após a companhia informar ontem à noite que sofreu um ataque cibernético criminoso, o que impactou parte de seus sistemas e operação. A rede varejista disse hoje, que segue trabalhando para restabelecer todas as operações e que seus principais bancos de dados não foram afetados, no entanto, analistas apontam que a empresa deve ter perdas com a receita vinda das vendas online, que são cada vez mais importantes dentro do seu faturamento.

Segundo os analistas da Genial Investimentos, a Renner pode deixar de gerar R$ 15 milhões de receita bruta a cada dia fechado do seu e-commerce, que representa 14% das vendas totais da companhia e apresentou GMV (volume bruto de mercadorias) de R$ 414 milhões no segundo trimestre.

“Pode ser pior do que parece. Além da perda financeira, ainda há o risco com a desalavancagem operacional e prejuízo de imagem. Destacamos o último. Se tratando da líder do setor, esse impacto pode se tornar significativo”, disseram ainda os analistas da corretora, em relatório.

Os analistas da XP Investimentos, por sua vez, destacam que notícias na imprensa apontam que o hacker responsável pelo ataque pediu um resgate de US$ 1 bilhão (aproximadamente R$ 5,4 bilhões), a ser pago em criptomoeda.

“Nós vemos a notícia como negativa dada à materialidade do potencial resgate, assim como o impacto na operação digital da companhia. Entretanto, destacamos que as operações das lojas, que são responsáveis pela maior parte
do resultado, não foram afetadas. Mantemos recomendação ‘Neutral’ e preço alvo de R$ 50,00 por ação”, afirmaram em relatório diário.

Às 12h40 (horário de Brasília), os papéis da companhia (LREN3) tinham queda de 0,70%, a R$ 39,17, reduzindo perdas em linha com a melhora do Ibovespa vista há pouco, após chegar a cair quase 2% pela manhã.