Siderúrgica pretende demitir 900 funcionários em Cubatão, diz sindicato

140

São Paulo – O Sindicato dos Metalúrgicos de Santos e Região afirmou que a Usiminas pretende demitir 60% dos funcionários de Cubatão, em São Paulo, o equivalente a 900 funcionários, após não chegar a um acordo sobre redução de jornada e salários.

Em um vídeo publicado no site da entidade, o presidente do sindicato, Claudinei Rodrigues, afirmou que as demissões foram anunciadas na segunda-feira (18) após reunião com a categoria.

Para Rodrigues, não existe nenhum fato que comprove a necessidade de demissão pela empresa. Segundo ele, o próprio Ministério do Trabalho disse durante a reunião que a empresa possui dinheiro em caixa para evitar as demissões.

O presidente do sindicato explicou ainda que a categoria está disposta assinar a redução de salário e de jornada de trabalho, mas não uma demissão em massa.

Na volta das férias coletivas no começo do mês, a Usiminas procurou os trabalhadores para apresentar a proposta de adesão à medida provisória (MP) 936, que autoriza a redução e jornada e redução de salário.

A redução de salário iria variar entre 20% a 70% conforme a faixa salarial. Mas, de acordo com Rodrigues, a Usiminas mudou de ideia e avisaram que fariam as demissões.