Setor de serviços dispara em julho na zona do euro; covid-19 pesa

Foto: União Europeia (UE)

São Paulo – O índice dos gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) sobre a atividade do setor de serviços da zona do euro subiu para 59,8 pontos em julho, de 58,3 pontos em junho, de acordo com dados revisados divulgados pelo instituto de pesquisas IHS Markit.

A leitura preliminar havia mostrado 60,4 pontos. Leituras acima de 50 pontos sugerem expansão da atividade, enquanto valores menores apontam contração.

O PMI composto, que mede a atividade dos setores industrial e de serviços, subiu para 60,2 pontos em julho, de 59,5 pontos em junho. A leitura preliminar havia mostrado 60,6 pontos.

“Preocupações com a variante Delta tornaram-se mais generalizadas, afetando atividade em algumas instâncias e levantando preocupações sobre a possibilidade de restrições de vírus sendo reforçadas novamente”, disse o economista-chefe de Negócios da IHS Markit, Chris Williamson.

Por isso, o crescimento dos serviços em julho foi um pouco menos acentuado do que a estimativa anterior e as expectativas futuras resfriaram-se ao menor nível desde março”, disse ele.

Ainda assim, o setor de serviços da Europa está voltando à vida. “Alívio de restrições pelo vírus e progresso adicional na vacinação estão impulsionando a demanda por uma ampla variedade de atividades, especialmente no turismo, viagens e no setor de hospitalidade”, afirmou Williamson.

Segundo ele, os negócios e prestadores de serviços financeiros também desfrutam de crescimento. “Junto com o elevado crescimento sustentado registrado no setor industrial, a força impressionante da expansão do setor de serviços em julho significa que a zona do euro deve ver o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) acelerar no terceiro trimestre”.