Setor de saúde quer alíquota diferenciada em reforma tributária

151
Profissionais de saúde em frente a um hospital do Queens, nos Estados Unidos / Foto: ONU

Por Gustavo Nicoletta 

São Paulo – O setor de saúde defende que a reforma tributária preveja uma alíquota diferenciada do imposto sobre valor agregado para o segmento, porque as propostas atuais elevariam a carga de impostos mesmo se houvesse desoneração da folha de pagamentos e do imposto de renda aplicados sobre o setor, afirmou Breno Monteiro, presidente da Confederação Nacional de Saúde durante audiência com o Congresso.

“Nem que haja desoneração total da folha associada à completa isenção de imposto sobre a renda, compensariam o impacto da alíquota única do nosso setor”, disse ele, acrescentando que mesmo após essas desonerações ainda restaria uma alíquota de 7,4% a ser compensada em relação ao que o setor paga hoje de impostos.

“A solução é que haja realmente uma alíquota diferenciada. A saúde não pode e não deve pagar essa conta para beneficiar outros setores da economia que pretendem redução de carga tributária neste momento”, afirmou.