Segundo Powell, caminho para recuperação da economia norte-americana ainda é longo

158
O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell / Foto: Fed

São Paulo – O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, afirmou que a economia dos Estados Unidos ainda possui um longo caminho de recuperação pela frente, com apenas metade das vagas fechadas em março tendo sido recuperadas até o momento.

“Embora os efeitos combinados das políticas fiscal e monetária tenham contribuído para a sólida recuperação do mercado de trabalho até o momento, ainda há um longo caminho a percorrer. O mercado de trabalho já recuperou cerca de metade do declínio de 22 milhões”, afirmou ele durante discurso transmitido via webcast na reunião anual da Associação Nacional de Economia Empresarial (Nabe, na sigla em inglês).

Segundo Powell, apesar da taxa de desemprego ter caído dos 14,7% visto em abril para 7,9%, “uma medida mais ampla que captura melhor as condições atuais do mercado de trabalho – ajustando para caracterizações equivocadas da situação do trabalho e para o declínio na participação da força de trabalho desde fevereiro – indica que ela está em torno de 11%”.

Neste sentido, ele reafirmou o compromisso do banco central norte-americano com o pleno emprego, além da estabilidade de preços. No final de agosto, Powell anunciou a mudança de estratégia do Fed, que passou a permitir que a inflação supere a meta de 2% após períodos de inflação muito baixos. Além disso, a autoridade monetária também deixará de elevar os juros assim que a inflação superar seu objetivo. Atualmente, os juros nos Estados Unidos estão na faixa entre zero e 0,25% ao ano.

““Ainda vemos pressão descendente sobre a inflação nos Estados Unidos, por isso, ajustamos nossa estratégia para permitir que a inflação acelere e fique acima de 2% por algum tempo para compensar esses períodos de baixa”, afirmou ele.

Powell afirmou ainda que o Fed pode fazer mais caso seja necessário. “As pessoas não acreditam, mas temos mais ferramentas para apoiar a economia caso seja preciso. Ainda não fizemos tudo o que podemos para que a economia tenha uma recuperação sólida”, disse.

O chefe do Fed descartou, no entanto, o uso de taxa de juros negativa. “O Fed não mudou sua visão sobre os juros negativos. Sei que muitos bancos centrais ao redor do mundo adotaram taxas negativas, mas esse não é o caso dos Estados Unidos. Os benefícios dos juros negativos são mistos e o Fed tem ferramentas que podem ser usadas para o mesmo objetivo”, afirmou.

Na webcast, Powell afirmou ainda que, apesar da trajetória fiscal dos Estados Unidos ser insustentável, este não é o momento de agir para conter esse problema. “Agora é a hora de oferecer todo o suporte possível para ajudar a economia a se recuperar e estamos prontos para isso”, completou.