Reino Unido diz que cadeia de suprimentos está mantida após restrições

172
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson / Foto: Andrew Parsons / No 10 Downing Street

São Paulo – O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, tentou tranquilizar a população do Reino Unido em meio ao surgimento de uma nova variante de coronavírus no país, que causou restrições de fronteira e está impedindo a entrega de suprimentos vindos da França.

Além disso, Johnson afirmou que as negociações para um acordo de Brexit continuam mas que a possibilidade de uma saída sem tratado já é “satisfatória” para os britânicos.

“É preciso lembrar que apenas 20% dos alimentos provém das fronteiras barradas, então ainda teremos o suficiente para todos no período de festas”, afirmou Johnson em conferência à imprensa.

“A maioria dos mantimentos está chegando, pedimos atualizações a todos os supermercados e eles garantiram que suas cadeias de suprimentos estão fortes e robustas”, afirmou.

No sábado, o governo do Reino Unido praticamente bloqueou partes do país, incluindo Londres, depois de admitir que mais da metade de todos os novos casos de covid-19 foram causados por uma variante mutante de coronavírus que pode contaminar até 70% mais rápido.

Como os cidadãos do Reino Unido saíram correndo das áreas bloqueadas antes do Natal, muitos países optaram por fechar as fronteiras com todo o Reino Unido em uma tentativa de impedir a importação da nova variedade.

“Pode parecer estranho, mas o governo se prepara para algo assim faz tempo, temos tudo sob controle”, disse ele.

A França fechou a fronteira com o Reino Unido por 48 horas para todos os tipos de chegadas, conforme anunciado pelo primeiro-ministro Jean Castex. Paris usará a pausa de dois dias para esclarecer a situação da saúde no Reino Unido ecoordenar uma estratégia de resposta comum com os estados membros da UE, de acordo com o funcionário.

O fechamento da fronteira francesa causou bloqueio na saída da cidade britânica de Dover, onde é feita a travessia para a França. “Eu e já conversei com o presidente francês, Emmanuel Macron, e nós dois queremos resolver essa situação o mais rapidamente possível”, disse ele.

Segundo Johnson, é preciso que os países compreendam que, mesmo com a nova variante, a possibilidade de transmissão entre um motorista fechado em um caminhão e o mundo externo é “baixa”.

Além disso, o ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, que acompanhou Johnson na coletiva, destacou que “nada indica que a nova variante de covid-19 é mais perigosa”, mas sim que ela é mais transmissível. “Nada indica que a vacina não será efetiva contra essa variação”, acrescentou.

Por fim, Johnson afirmou que, apesar do contratempo, as negociações para o Brexit continuam. Ele, no entanto, destacou “não que não queremos um acordo com a União Europeia, mas a possibilidade de um divórcio sem ele é, para nós, satisfatório”.