Reprovação do governo Bolsonaro sobe a 43,4%, diz CNT/MDA

163
Os presidentes da República, Jair Bolsonaro e do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, fazem declaração à imprensa no Planalto. (Foto: Carolina Antunes/PR)

São Paulo – A taxa de reprovação do governo do presidente Jair Bolsonaro aumentou de 31,0% em janeiro para 43,4% em maio, segundo pesquisa conduzida pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) em parceria com o Instituto MDA. A taxa é a mais alta desde que Bolsonaro foi eleito. A taxa de aprovação do governo caiu de 34,5% para 32,0%.

Segundo os dados divulgados pela CNT, o percentual de entrevistados que consideram o governo Bolsonaro ótimo aumentou de 9,5% em janeiro para 14,3% em maio, mas os que consideravam a administração boa diminuíram de 25,0% para 17,7%. Estes dois grupos, somados, representam o índice de aprovação de 34,5%.

Os que consideraram a administração Bolsonaro ruim cresceram de 9,5% para 11,1%, e os que avaliaram o governo como péssimo passaram de 21,5% para 32,3%.

Estes dois grupos, somados, representam a taxa de reprovação obtida pela pesquisa CNT/MDA.

Os entrevistados que avaliaram o governo como regular caíram de 32,1% para 22,9%, enquanto os que não souberam ou não quiseram responder diminuíram de 2,4% para 1,7%.

A avaliação do desempenho pessoal de Bolsonaro também piorou, com os que desaprovam o presidente passando de 47,0% para 55,4%, e os que aprovam o presidente caindo de 47,8% para 39,2%. Os que não souberam ou não quiseram responder passaram de 5,2% para 5,4%.

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas por telefone, de 494 municípios e 25 estados, entre os dias 7 e 10 de maio. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais (pp).