Renda pessoal nos EUA cai 4,2% em maio ante abril; gastos sobem 8,2%

215

São Paulo – A renda dos norte-americanos em maio caiu 4,2% em relação a abril, uma queda de US$ 874,2 bilhões em termos absolutos, segundo dados divulgados pelo Departamento do Comércio dos Estados Unidos. Os gastos pessoais (PCE, na sigla em inglês) avançaram 8,2% na mesma base de comparação, alta de US$ 994,5 bilhões.

Em abril, a renda havia avançado 10,8% e os gastos haviam recuado 12,6%, ambos na comparação mensal. Analistas esperavam que em maio houvesse queda de 7,0% na renda e alta de 8,7% nos gastos em comparação com o mês anterior.

A renda pessoal menos o pagamento de impostos (DPI, ou Disposable Personal Income) caiu 4,9% em maio, ou em US$ 911,1 bilhões. O volume de poupança dos norte-americanos foi de US$ 4,12 trilhões no período, ou o equivalente a 23,2% da DPI.

Além disso, o índice de preços para os gastos pessoais (PCE) avançou 0,1% em maio na comparação mensal, depois de cair 0,5% em abril. Na comparação anual, o índice subiu 0,5% em maio, depois da alta de 0,6% em abril. O PCE é o indicador usado pelo banco central dos Estados Unidos (Fed) como referência para medir a inflação.

O núcleo do PCE, que exclui do cálculo os preços de alimentos e energia, avançou 0,1% em termos mensais e 1,0% em termos anuais em maio, após a queda de 0,4% registrada em abril em base mensal e a alta de 1,0% em base anual.