Reino Unido considera bloqueio nacional com avanço de casos de covid-19

197
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson / Foto: Divulgação / Governo britânico

São Paulo – O ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, pediu às pessoas que sigam as restrições de distanciamento social para evitar outro bloqueio nacional, já que o Reino Unido está à beira de uma segunda onda de casos de covid-19. As informações são da agência de notícias “Sputnik”.

“Se as pessoas quebrarem as regras, é mais provável que acabemos em medidas nacionais”, disse Hancock à emissora de televisão “BBC”.

Depois de frisar que “é absolutamente crítico que neste momento todos parem, deem um passo atrás e percebam que todos temos uma parte a cumprir”, o ministro da Saúde disse que não quer ver outro bloqueio nacional como o que foi impostas de março a maio.

“O público precisa seguir as regras e é por isso que digo que o país tem uma escolha”, acrescentou.

Quando questionado se denunciaria à polícia qualquer pessoa que visse quebrando as regras de autoisolamento, Hancock disse que o faria, porque “a parte de autoisolamento é absolutamente necessária para quebrar a cadeia de transmissão”.

De acordo com relatos da mídia do Reino Unido, as pessoas na Inglaterra enfrentarão multas entre quase US$ 1.300 e US$ 13.000 por violar as medidas de quarentena destinadas a interromper a segunda onda de infecção pelo novo coronavírus no Reino Unido.

A partir de 28 de setembro, as pessoas serão obrigadas a isolar-se se o resultado do teste for positivo para covid-19 ou se entrarem em contato com uma pessoa infectada ou enfrentar as multas, disse o “The Guardian” no sábado.