Reguladores do Reino Unido e da UE atestam eficácia de vacina da AstraZeneca

Foto: Brian Hoskins / freeimages.com

São Paulo – Os reguladores de saúde do Reino Unido e da União Europeia (UE) atestaram a eficácia da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford depois que vários países europeus suspenderam o uso do imunizante por suspeita de formação de coágulos em pessoas imunizadas.

O primeiro a atestar a segurança da vacina foi a Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA) do Reino Unido, que indicou que não causa coágulos sanguíneos e que vê os benefícios do imunizante superam seus riscos.

“Hoje, após uma revisão científica rigorosa de todos os dados disponíveis, o regulador do Reino Unido descobriu que as evidências disponíveis não sugerem que os coágulos sanguíneos nas veias (tromboembolismo venoso) sejam formados pela vacina contra a covid-19 da AstraZeneca”, diz comunicado da MHRA.

De acordo com a nota, a conclusão segue uma revisão detalhada de casos bem como dados de internações hospitalares e foi confirmada pela Comissão de Medicamentos Humanos, um grupo consultivo independente do governo britânico, cujos cientistas e médicos especialistas também revisaram os dados disponíveis.

O comunicado informa ainda que está em curso uma revisão detalhada de cinco relatórios no Reino Unido de um tipo muito raro e específico de coágulo sanguíneo nas veias cerebrais que ocorre juntamente com plaquetas diminuídas. Segundo o governo, esses casos foram relatados em menos de 1 em 1 milhão de pessoas vacinadas até agora no Reino Unido.

“Recebemos um número muito pequeno de notificações de uma forma extremamente rara de coágulo sanguíneo nas veias cerebrais – trombose da veia sinusal – ocorrendo junto com plaquetas diminuídas logo após a vacinação. Este tipo de coágulo sanguíneo pode ocorrer naturalmente em pessoas que não foram vacinadas, bem como naquelas que sofrem de covid-19”, disse o executivo chefe da MHRA, June Raine.

EMA

Horas depois, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) concluiu que a vacina da AstraZeneca é segura e eficaz após uma revisão do imunizante. O regulador europeu indicou, no entanto, que continuará a estudar possíveis ligações entre a formação de coágulos sanguíneos e o uso da vacina.

“[O comitê de segurança da Agência Europeia de Medicamentos concluiu que a vacina é] segura e eficaz na prevenção da covid-19 e seus benefícios superam o risco”, disse a presidente do comitê, Sabine Straus.

Vários países europeus suspenderam o uso da vacina da AstraZeneca após a detecção de casos de coágulos sanguíneos, alguns deles fatais, em pessoas inoculadas com o imunizante. A farmacêutica defendeu sua vacina, observando que o número de casos de trombose em pessoas inoculadas é “significativamente menor do que o esperado”.

O Comitê Consultivo Global sobre Segurança de Vacinas da Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciará suas conclusões finais entre hoje e amanhã.

Texto atualizado às 15h24