RADAR DO DIA: Zona do euro e PIB do primeiro trimestre

Foto de Lorenzo / Pexels

São Paulo – A revisão para cima em um índice sobre a atividade industrial da zona do euro, colocando-o no maior nível em mais de 30 anos, ajuda a empurrar para cima as bolsas da Europa nesta manhã. Dados mostrando que a inflação na zona do euro acelerou para 2% ao ano, que poderiam limitar os ganhos, foram deixados em segundo plano, visto que boa parte da alta foi motivada pela elevação nos preços do petróleo e deve ser transitória.

Os preços do petróleo sobem quase 3%, reagindo aos dados que apontam retomada da atividade na indústria e possibilidade de aumento na demanda por combustíveis nos Estados Unidos nos próximos meses. A perspectiva de que a Organização dos Países Produtores de Petróleo, a Opep, continuará sua estratégia de aumento apenas gradual na oferta também ajuda os preços a subirem.

No Brasil, a Comissão de Educação da Câmara dos Deputados realiza audiência pública com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, para tratar dos cortes orçamentários das universidades públicas brasileiras.

O Congresso Nacional tem sessão marcada para análise de 18 vetos presidenciais e três projetos de lei (PLNs), entre eles o que restabelece cerca de R$ 20 bilhões ao Orçamento federal de 2021 para o pagamento de benefícios sociais (PLN 4/21).

O projeto abre crédito suplementar de R$ 19,768 bilhões para o Orçamento, valor que havia sido vetado pelo presidente Jair Bolsonaro na sanção da Lei Orçamentária Anual (LOA -Lei 14.144/21). Segundo o Executivo, a abertura do crédito não vai afetar a meta fiscal para 2021, já que os valores serão compensados por vetos a outras destinações orçamentárias.

Na agenda do dia, às 9h, será divulgado o PIB do primeiro trimestre, e a previsão é de que os números mostrem crescimento de 0,7% em relação ao final do ano passado e de 0,5% ante o primeiro trimestre de 2020.

Em âmbito corporativo, a Raízen Combustíveis, subsidiária da Cosan, anunciou a intenção de protocolar perante a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pedido de registro de oferta pública de distribuição de ações preferências no segmento de listagem nível 2 da B3. Os detalhes da oferta como quantidade de ações e preço de venda ainda serão fixados pelo conselho de administração da empresa.

O conselho de administração da Rumo aprovou a emissão de R$ 1 bilhão em debêntures, em duas séries com a primeira vencendo em 2031 e a segunda em 2036.

A Petrobras informou que foi efetivada ontem (31) a renúncia do conselho de administração Marcelo Gasparino da Silva. Ele foi eleito através de voto múltiplo na assembleia geral extraordinária realizada em 12 de março deste ano.

A Itaúsa informou um aporte adicional de R$ 1,2 bilhões na Aegea, por meio da emissão de ações, devido à conquista dos blocos 1 e 4 no leilão de concessões dos serviços de saneamento do estado do Rio de Janeiro, em abril. O conselho de administração da companhia também aprovou uma emissão de debêntures de R$ 2,5 bilhões para financiar a aquisição de ações e o aporte de capital na Aegea e nos respectivos contratos de saneamento.

A Petrobras concluiu a venda da totalidade de sua participação de 51% no capital social da eólica Mangue Seco 2, para o atual sócio Mangue Seco Participações, do fundo Pirineus, com 49% de participação, por R$ 34,2 milhões.

A Totvs concluiu a compra de 92,04% do capital social da RD Station, com o pagamento de R$ 1,861 bilhão, sujeito a ajustes, por meio sua subsidiária Totvs Large Enterprise Tecnologia.

A JBS confirmou informações de que sofreu um ataque cibernético nos Estados Unidos e na Austrália, noticiado pela imprensa australiana, e disse que está trabalhando ativamente para restaurar seus sistemas o mais rápido possível, mas que a resolução levará tempo e pode atrasar transações com clientes e fornecedores.

A CCR informou a homologação, pelo governo do estado de São Paulo, do contrato de concessão da operação comercial por 30 anos das linhas de trem 8-Diamante e 9-Esmeralda, ao consórcio ViaMobilidade, do qual detêm 80% de participação.

O conselho de administração da BRF aprovou a emissão de R$ 1 bilhão em debêntures, em série única, para uso integral em sua produção rural no agronegócio. O prazo de vencimento das debêntures é 14 de maio de 2031.

O conselho de administração da Cyrela aprovou, em 28 de maio, a emissão de debêntures simples da companhia, no valor de R$ 40 milhões, em série única, para construção de empreendimento em São Paulo (SP).

Os executivos das operadoras de telefonia destacaram a atualização da lei do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust), promovida pelo governo federal para ampliação da conectividade e com menor arrecadação tributária, em audiência pública na Câmara dos Deputados.